Membros / Amigos

Conheça mais de nossas Postagens

Research - Digite uma palavra ou assunto e Pesquise aqui no Blog

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Devemos celebrar o Nascimento ou a Morte de Jesus? O que a Bíblia orienta?

Somos orientados a celebrar o nascimento de Jesus ou a sua Morte!?

Se fosse da vontade de Deus que guardássemos e celebrássemos o aniversário do NASCIMENTO de Jesus Cristo, Ele não haveria ocultado sua data exata, nem nos deixaria sem nenhuma menção a esta comemoração, em toda a Bíblia. Ao invés de envolvermo-nos numa festa de origem não encontrada na Bíblia mas somente no paganismo, somos ordenados a adorar Deus, a relembrar biblicamente a MORTE do nosso Salvador, e a biblicamente pregar esta MORTE e seu significado, a vitoriosa RESSURREIÇÃO do nosso Salvador. Sua próxima VINDA gloriosa, sua mensagem de SALVAÇÃO para os que crêem verdadeiramente e PERDIÇÃO para os não crentes verdadeiros.

JESUS NÃO NASCEU EM 25 DE DEZEMBRO - Quando Ele nasceu “… havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho.”  (Lucas 2:8). Isto jamais pôde acontecer na Judeia durante o mês de dezembro: os pastores tiravam seus rebanhos dos campos em meados de outubro e [ainda mais à noite] os abrigavam para protegê-los do inverno que se aproximava, tempo frio e de muitas chuvas (Adam Clark Commentary, vol.5, página 370). A Bíblia nos mostra em Esdras 10:9,13, que o inverno era época de chuvas, o que tornava impossível a permanência dos pastores com seus rebanhos durante as frígidas noite, no campo. É também pouco provável que um recenseamento fosse convocado para a época de chuvas e frio (Lucas 2:1).

Leia mais em: ...em que data Jesus nasceu? 

O Natal é uma das principais tradições do sistema corrupto chamado Babilônia, fundado por Nimrode, neto de Cam, filho de Noé. O nome Nimrode se deriva da palavra “marad”, que significa “rebelar”. Nimrode foi poderoso caçador CONTRA Deus (Gn 10:9).
Para combater a ordem de espalhar-se:
- criou a instituição de ajuntamentos (cidades);

- construiu a torre de Babel (a Babilônia original) como um quádruplo desafio a Deus (ajuntamento, tocar aos céus, fama eterna, adoração aos astros);

- fundou Nínive e muitas outras cidades, (o trecho de Gn 10:11 relata como Ninrode fundou Nínive, Reobote-Ir, Calá e Resen);

- organizou o primeiro reino deste mundo.

A Babilônia é um sistema organizado de impérios e governos humanos, de explorações econômicas, e de todos os matizes de idolatria e ocultismo.

Sobre este homem, Josefo escreveu: "Pouco a pouco, transformou o estado de coisas numa tirania, sustentando que a única maneira de afastar os homens do temor a Deus era fazê-los continuamente dependentes do seu próprio poder. Ele ameaçou vingar-se de Deus, se Este quisesse novamente inundar a terra; porque construiria uma torre mais alta do que poderia ser atingida pela água e vingaria a destruição dos seus antepassados. O povo estava ansioso de seguir este conselho, achando ser escravidão submeter-se a Deus; de modo que empreenderam construir a torre [...] e ela subiu com rapidez além de todas as expectativas."Jewish Antiquities (Antiguidades Judaicas), I, 114, 115 (iv, 2, 3)

Nimrode era tão pervertido que, segundo escritos, casou-se com sua própria mãe, cujo nome era Semiramis. Depois de prematuramente morto, sua mãe-esposa propagou a perversa doutrina da reencarnação de Nimrode em seu filho Tamuz. Ela declarou que, em cada aniversário de seu natal (nascimento), Nimrode desejaria presentes em uma árvore. A data de seu nascimento era 25 de dezembro. Aqui está a verdadeira origem da árvore de Natal.

Semiramis se converteu na “rainha do céu” e Nimrode, sob diversos nomes, se tornou o “divino filho do céu”. Depois de várias gerações desta adoração idólatra, Nimrode também se tornou um falso messias, filho de Baal, o deus-sol. Neste falso sistema babilônico, a mãe e o filho (Semiramis e Nimrode encarnado em seu filho Tamuz) se converteram nos principais objetos de adoração. Esta veneração de “a Madona e Seu Filho” (o par “mãe influente + filho poderoso e obediente à mãe”) se estendeu por todo o mundo, com variação de nomes segundo os países e línguas. Por surpreendentemente que pareça, encontramos o equivalente da “Madona”, da Mariolatria, muito antes do nascimento de Jesus Cristo!

Leia mais em: A verdade Histórica sobre o 25 de Dezembro 

Nos séculos 4º e 5º os pagãos do mundo romano se “converteram” em massa ao “cristianismo”, levando consigo suas antigas crenças e costumes pagãos, dissimulando-os sob nome cristãos. Foi quando se popularizou também a ideia de “a Madona e Seu Filho”, especialmente na época do Natal. Os cartões de Natal, as decorações e as cenas do presépio refletem este mesmo tema.

A verdadeira origem do Natal está na antiga Babilônia. Está envolvida na apostasia organizada que tem mantido o mundo no engano desde há muitos séculos! No Egito sempre se creu que o filho de Ísis (nome egípcio da “rainha do céu”) nasceu em 25 de dezembro. Os pagãos em todo o mundo conhecido já celebravam esta data séculos antes do nascimento de Cristo.

Jesus, o verdadeiro Messias, não nasceu em 25 de dezembro. Os apóstolos e a igreja primitiva jamais celebraram o natalício de Cristo. Nem nessa data nem em nenhuma outra. Não existe na Bíblia ordem nem instrução alguma para fazê-lo. Porém, existe, sim, a ordem de atentarmos bem e lembrarmos sempre a Sua MORTE (1Co 11:24-26; João 13:14-17).

AFINAL, A BÍBLIA MOSTRA QUANDO NASCEU JESUS?
Jesus Cristo nasceu na festa dos Tabernáculos, a qual acontecia a cada ano, no final do 7º mês (Iterem) do calendário judaico, que corresponde [mais ou menos, pois o calendário deles é lunar-solar, o nosso é solar] ao mês de setembro do nosso calendário. A festa dos Tabernáculos (ou das Cabanas) significava Deus habitando com o Seu povo. Foi instituída por Deus como memorial, para que o povo de Israel se lembrasse dos dias de peregrinação pelo deserto, dias em que o Senhor habitou no Tabernáculo no meio de Seu povo (Lev 23:39-44; Nee 8:13-18 ).

Em João 1:14 (“E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.”) vemos que o Verbo (Cristo) habitou entre nós. Esta palavra no grego é skenoo = tabernáculo. Devemos ler “E o Verbo se fez carne, e TABERNACULOU entre nós, e…”.

A festa dos Tabernáculos cumpriu-se em Jesus Cristo, o Emanuel (Isaias 7:14)  que significa “Deus conosco”. Em Cristo se cumpriu não apenas a festa dos Tabernáculos, mas também a festa da Páscoa, na Sua morte  (Mateus 26:2; 1Cor 5:7), e a festa do Pentecostes, com o Espírito Santo a todos os que haveriam de ser salvos na dispensação da igreja (Atos 2:1).

"Expurgai o fermento velho, para que sejais massa nova, assim como sois sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, já foi sacrificado" I coríntios 5.7

Leia mais em: Páscoa uma festa genuinamente bíblica

Vejamos nas Escrituras alguns detalhes que nos ajudarão a situar cronologicamente o nascimento de Jesus:
Os levitas eram divididos em 24 turnos e cada turno ministrava por 1/24 = 15 dias, 2 vezes ao ano. Os números estão arredondados, pois 24 turnos x 15 dias = 360 dias =/= 365,2422 dias = 1 ano. Durante os sábados especiais, todos os turnos ministravam juntamente; 1Cr 24:1-19.

_ O oitavo turno pertencia a Abias (1Cr 24:10).

_ O primeiro turno iniciava-se com o primeiro mês do ano judaico – mês de Abibe. Êxodo 12:1-2; 13:4; Deuteronômio 16:1; Êxodo 13:4.

_ Usualmente havia 12 meses, alguns deles com 29 dias, outros com 30 dias, totalizando apenas 12 x 29,5 = 354 dias, ficando faltando 11,2422 dias para o ano solar. A cada 3 ou anos a distorção entre este calendário e o solar era corrigida através da introdução do mês de Adar II.

Temos a seguinte correspondência:

Mês (número)Mês (nome, em Hebraico)TurnosReferências
1Abibe ou Nissan
= março / abril
1 e 2Êxo 13:4 Ester 3:7
2Zive = abril / maio3 e 41Re 6:13
3Sivan = maio / junho5 e 6Est 8:9
4Tamuz = junho / julho7 e 8 (Abias)Jer 39:2; Zac 8:19
5Abe = julho / agosto9 e 10Núm 33:38
6Elul: agosto / setembro11 e 12Nee 6:15
7Etenim ou Tisri
= setembro / outubro
13 e 141Rs 8:2
8Bul ou Cheshvan
= outubro / novembro
15 e 161Rs 6:38
9Kisleu
= novembro / dezembro
17 e 18Esd 10:9; Zac 7:
10Tebete = dezembro / janeiro19 e 20Est 2:16
11Sebate = janeiro / fevereiro21 e 22Zac 1:7
12Adar = fevereiro / março23 e 24Est 3:7
Zacarias, pai de João Batista, era sacerdote e ministrava no templo durante o “turno de Abias” (Tamuz, i.é, junho / julho) (Lc 1:5,8,9).

Terminado o seu turno voltou para casa e (conforme a promessa que Deus lhe fez) sua esposa Isabel, que era estéril, concebeu João Batista (Lc 1:23-24) no final do mês Tamuz (junho / julho) ou início do mês Abe (julho / agosto).

Jesus foi concebido 6 meses depois (Lc 1:24-38), no fim de Tebete (dezembro / janeiro) ou início de Sebat (janeiro / fevereiro).

Nove meses depois, no final de Etenim (que cai em setembro e/ou outubro), mês em que os judeus comemoravam a Festa dos Tabernáculos, Deus veio habitar, veio tabernacular conosco. Nasceu Jesus, o Emanuel (“Deus conosco”).



...ESTAMOS HONRANDO AO SENHOR?
"Guarda-te, que não te enlaces seguindo-as, ...; e que não perguntes acerca dos seus deuses, dizendo: 'Assim como serviram estas nações os seus deuses, do mesmo modo também farei eu.'    Assim não farás ao SENHOR teu Deus; porque tudo o que é abominável ao SENHOR, e que Ele odeia, fizeram eles a seus deuses; ...". Dt 12:30-31

"Assim diz o SENHOR: 'Não aprendais o caminho dos gentios, ...    Porque os costumes dos povos são vaidade; ...'" Jr 10:2-3

Deus disse-nos claramente que não aceitará este tipo de adoração: ainda que tenha hoje a intenção de honrá-Lo, teve origem pagã e, como tal, é abominável e honra não a Ele mas sim aos falsos deuses pagãos.

Deus não quer que O honremos "como nos orienta a nossa própria consciência": "Deus é Espírito; e importa que os que O adoram O adorem em espírito e em verdade". João 4.24
O que é a verdade?
Jesus disse que a Sua palavra, a Bíblia, é a verdade (João 17:17).  E a Bíblia diz que Deus não aceitará o culto de pessoas que, querendo honrar a Cristo, adotem um costume pagão: "Mas em vão me adoram, ensinando doutrina que são preceitos dos homens." (Mt 15:9).

A comemoração do Natal é um mandamento (uma tradição) de homens e isto não agrada a Deus. "E assim invalidastes, pela vossa tradição, o mandamento de Deus" (Mt 15:6).

"Assim não farás ao SENHOR teu Deus; porque tudo o que é abominável ao SENHOR, e que ele odeia, fizeram eles a seus deuses..."  (Dt 12:31)

Não podemos honrar e agradar a Deus com elementos de celebrações pagãs!


Apesar de muitos argumentarem que "não tem nada haver"; estamos em "novos tempos" e não podemos misturar as coisas.
Apesar de ouvir "não confunda" um tempo de paganismo com um tempo atual "hodierno".
Apesar de ser ignorado por alguns, quando o assunto é arvore de natal, papai noel, guirlanda e tudo aquilo relacionado a este período de Grandes ganhos financeiros.
Apesar de alguns se apoiarem em textos também bíblicos, como o de Eclesiastes 7:16-17, para justificarem seus comportamentos.
A intenção é esclarecer de uma forma Apologética.
Lembremos: "Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom." (Lucas 16.13)
"E até importa que haja entre vós heresias, para que os que são sinceros se manifestem entre vós." (ICo 11.19)
Fiquemos atentos aos sorrateiros passos do inimigo na tentativa de persuadir nossas crianças, nosso povo, nossas mentes.  ...e que os sinceros se manifestem!

Leia também: O nascimento de Jesus - Jesus o Homem Perfeito 

Fonte:
SolaScriptura.tt.org - Teólogo Hélio de Menezes Silva - O Natal veio do paganismo
Heresia tô fora Estudos Apologéticos;
Wikipédia-Ninrod; 
Bíblia Defesa da Fé;
Bíblia de Estudo Pentecostal;
Calendário Bíblico
Aqui eu Aprendi!

4 comentários:

  1. "O ano litúrgico outra coisa não deve ser senão uma ampliação da revelação que em Cristo se tornou um evento, isto é, um ano centralizado em Cristo" (A.D. Müller, apud von Allmen, p. 280).

    Caro irmão tenho uma visão diferente, embora respeite a Vossa.
    O Calendário Hebraico é Lunar e não contempla a existência de Cristo, isto porque não creem que ele é o Messias.
    O Calendário Cristão é Solar e comtempla e existência de Cristo, sendo comemorado o seu nascimento em 25 de dezembro .
    Cristo é o fim da lei, sendo que todo o sistema legalista do antigo testamento se exaure em Jesus.
    Alias há um calendário antigo que é protestante e sempre fez menção do Natal.
    O Nascimento de Cristo é o advento da humanidade (recomeço), tanto que tal fenômeno é narrado na Bíblia, extensivamente.
    Há um calendário antigo Protestante que faço questão de dividir com os irmãos:

    O Calendário Cristão Protestante
    Com as Principais datas Comemorativas Evangélicas.
    Algumas datas variam e podem ser comemoradas em dias diferentes de acordo com algumas denominações.
    Mais na maioria das Denominações as principais datas abaixo são Consenso.

    JANEIRO
    01 – Ano Novo
    06 – Dia da Gratidão
    07 – Dia da Liberdade de Culto
    MARÇO
    03 – Dia da Esposa do Pastor
    05 – Dia Mundial de Oração
    08 – Dia Internacional da Mulher
    10 – Primeiro Culto Protestante no Brasil
    11 – Dia da Educação Cristã
    21 – Dia da Primeira Santa Ceia
    Celebrada no Brasil
    22 – Dia Mundial da Água
    ABRIL
    13 – Dia dos Jovens
    28 – Dia da Sogra
    22 – Sexta Feira da Paixão
    24 – Domingo da Páscoa
    MAIO
    15 – Dia Internacional da Família
    2º Domingo – Dia das Mães
    JUNHO
    05 – Dia Mundial do Meio Ambiente
    09 – Dia de Pentecoste
    2º Domingo – Dia do Pastor Evangélico
    JULHO
    09 – Dia do Diácono
    20 – Dia Internacional da Amizade
    26 – Dia dos Avós
    AGOSTO
    01 – Dia do Presbítero
    2º Domingo – Dia dos Pais
    19 – Primeira Escola Dominical realizada no Brasil.
    SETEMBRO
    07 – Dia da Independência do Brasil
    2º Domingo – Dia de Missões
    3º Domingo – Dia da Escola Dominical
    21 – Dia do Idoso
    OUTUBRO
    02 – Dia de Oração Pela Paz em Jerusalém
    04 – Dia dos Animais
    12 – Dia das Crianças
    15 – Dia do Mestre
    18 – Dia do Evangelista
    31 – Dia da Reforma Protestante
    NOVEMBRO
    19 – Dia da Bandeira
    30 – Dia do Evangélico
    30 – Dia do Teólogo
    DEZEMBRO
    08 – Dia Nacional da Família
    2º Domingo – Dia Nacional da Bíblia
    25 – Natal: Celebração do Nascimento de Jesus Cristo
    31 – Dia Mundial da Esperança

    Sendo assim, qualquer data comemorativa que fosse atribuída a comemoração do nascimento Jesus para uns serão profanas e para outros serão sagradas.
    Toda a humanidade pecou, todos os dias foram profanados. Cabe dentro de cada coração sabermos separar o que é profano do que é sagrado.
    Porque embora vivemos no mundo não somos do mundo, maior exemplo que esse vivemos de coisas profanas mas pertencemos a tais coisas.
    Abraços fique com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Paz do Senhor. Meu nobre amigo em Cristo Edson Grothe, obrigado pela rica participação.

      abraço fraterno
      Pastor Ismael

      Excluir
    2. Caso irmão em Cristo, Edson Grothe...
      Comemoração natalina não existe na doutrina dos apóstolos, eles nem sequer tiveram de perder tempo explicando o porquê de não se comemorar o "natal" de Cristo , pois naturalmente, de forma espontânea, se ocupavam em anunciar a volta de Cristo e a lembrança que Ele deixou na celebração da ceia, ou seja: sua morte e ressurreição. O calendário protestante antigo foi feito por homens e não aponta nenhum indício de ter sido aprovado pelo Senhor...o único a ser exaltado deve ser Cristo, e conforme o calendário protestante, líderes e cargos são "lembrados" de modo que leva o povo a separar um dia específico para "homenagear" pessoas (o que sabemos que é anti- bíblico).

      Excluir
  2. Jesus Cristo nasceu na festa dos Tabernáculos como mostra o texto favor me enviar provas biblicas.

    ResponderExcluir

O comentário será postado assim que o autor der a aprovação.

Respeitando a liberdade de expressão e a valorização de quem expressa o seu pensamento, todas as participações no espaço reservado aos comentários deverão conter a identificação do autor do comentário.

Não serão liberados comentários, mesmo identificados, que contenham palavrões, calunias, digitações ofensivas e pejorativas, com falsidade ideológica e os que agridam a privacidade familiar.

Comentários anônimos:
Embora haja a aceitação de digitação do comentário anônimo, isso não significa que será publicado.
O administrador do blog prioriza os comentários identificados.
Os comentários anônimos passarão por criteriosa analise e, poderão ou não serem publicados.

Comentários suspeitos e/ou "spam" serão excluídos automaticamente.

Obrigado!
" Aqui eu Aprendi! "

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...