Membros / Amigos

Conheça mais de nossas Postagens

Research - Digite uma palavra ou assunto e Pesquise aqui no Blog

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Calendário Bíblico - parte 2

A Paz do Senhor Jesus!

Em continuação ao assunto Calendário Bíblico - parte 1, seguiremos com a segunda parte da postagem.

Pergunta:
Na Bíblia encontro cada um dos meses do calendário judaico?

Calendário judaico ou hebraico é o nome do calendário utilizado dentro do judaísmo. Os eventos e comemorações (festas) Judaicas são sempre comemorados na mesma data e seguidas no calendário judaico. Em comemorações mundiais segue-se através do calendário gregoriano.

 O calendário hebraico, que é observado até os dias de hoje, é um calendário do tipo lunissolar cujos meses são baseados nos ciclos da Lua, enquanto o ano é adaptado regularmente de acordo com o ciclo solar. Por isso ele é composto alternadamente por anos de 12 ou 13 meses.
Nos tempos bíblicos a determinação dos tempos era realizada pela observação direta de testemunhas designadas para este fim.

Mais postagens sobre o tema Calendário Judaico e suas datas festivas: ver Calendários em "Marcadores".


Na Bíblia encontro cada um dos meses do calendário judaico?
Sim, encontramos!

Observação: na época de Moisés, quando foi instituído, o ano começava no mês de Abib/Nisan, que corresponde mais ou menos aos nossos meses de março/abril.
Vejamos Êxodo 23:14-16 Deus diz: “Três vezes no ano me celebrarás festa: A festa dos pães ázimos guardarás: sete dias comerás pães ázimos como te ordenei, ao tempo apontado no mês de abibe, porque nele saíste do Egito; e ninguém apareça perante mim de mãos vazias; também guardarás a festa da sega, a das primícias do teu trabalho, que houveres semeado no campo; igualmente guardarás a festa da colheita à saída do ano, quando tiveres colhido do campo os frutos do teu trabalho”.
Só muito tempo depois o ano civil passou a se iniciar em Etanim/Tisri (setembro/outubro), como nos dias de hoje.

Abib/Nisan, é o nome dado ao primeiro mês do calendário judaico religioso e sétimo mês do calendário civil, se inicia com a primeira Lua nova da época da cevada madura em Israel. O nome Nissan tem origem babilônica ( A origem do nome Nissan vem da palavra Nitzan, o nome da flor antes de se abrir.) (inicio/abertura): na Torá o nome do mês é Abibé o primeiro mês da primavera (primavera em hebraico, Aviv, Abibe), Este mês marca o início da primavera no hemisfério norte. Neste mês os judeus comemoram Pessach (14 de Nissan). Corresponde a março/abril no calendário gregoriano, é citado na Bíblia em:
Êxodo 12:2 “Este mês será para vós o princípio dos meses; este vos será o primeiro dos meses do ano”;
Êxodo 23:15 “A festa dos pães ázimos guardarás: sete dias comerás pães ázimos como te ordenei, ao tempo apontado no mês de abibe, porque nele saíste do Egito; e ninguém apareça perante mim de mãos vazias”;
Neemias 2:1 “Sucedeu, pois, no mês de nisã, no ano vigésimo do rei Artaxerxes, quando o vinho estava posto diante dele, que eu apanhei o vinho e o dei ao rei. Ora, eu nunca estivera triste na sua presença”.
Ester 3:7 “No primeiro mês, que é o mês de nisã, no ano duodécimo do rei Assuero, se lançou Pur, isto é, a sorte, perante Hamã, para cada dia e para mês, até o duodécimo, que é o mês de adar”.
Os livros de Neemias e Ester foram escritos exatamente 1000 anos após o Êxodo, e o calendário ainda era o mesmo!

Zive/Lyar, é o oitavo mês do ano civil, e o segundo mês do ano eclesiástico no calendário hebraico. Ziv (Zive) é um nome hebraico. O significado do nome é luz ou brilho. Corresponde a abril/maio no calendário gregoriano, é citado na Bíblia em:
1º Reis 6:1 “Sucedeu, pois, que no ano quatrocentos e oitenta depois de saírem os filhos de Israel da terra do Egito, no quarto ano do reinado de Salomão sobre Israel, no mês de zive, que é o segundo mês, começou-se a edificar a casa do Senhor”.

Sivan, tem o significado "Estação; tempo"; é o nono mês do ano civil e o terceiro mês do ano eclesiástico no calendário hebraico. É um mês de primavera em Israel. Corresponde a maio/junho no calendário gregoriano, é citado na Bíblia em:
Ester 8:9 “Então foram chamados os secretários do rei naquele mesmo tempo, no terceiro mês, que é o mês de sivã, no vigésimo terceiro dia; e se escreveu conforme tudo quanto Mordecai ordenou a respeito dos judeus, aos sátrapas, aos governadores e aos príncipes das províncias, que se estendem da Índia até a Etiópia, cento e vinte e sete províncias, a cada província segundo o seu modo de escrever, e a cada povo conforme a sua língua; como também aos judeus segundo o seu modo de escrever e conforme a tua língua”.

TAMUZ, (corresponde a junho/julho) - pós-exílio, considerado o primeiro mês negativo, o segundo é Av, e em Elul há o julgamento das ações. Os dias entre 17 de Tamuz e 9 de Av são dias de luto, em lembrança do colapso de Jerusalém durante a ocupação romana que ocorreu entre estas datas. O 17 de Tamuz é um dia de jejum em memória à queda de Jerusalém ocorrida antes da destruição do Segundo Templo pelos romanos.
Tamuz era um deus dos sumérios conhecido como Dumuzi (Damuzi) e pelos egípcios como Osíris.
O mês de Tamuz é o décimo na contagem da Criação do mundo, e o quarto na contagem da saída do Egito.
No calendário do agricultor hebreu, encontrado nas escavações de Guezer, o mês é denominado "a lua [o mês] da poda".
Nas Escrituras há várias menções ao "quarto mês"; o nome "Tamuz", porém, aparece apenas uma vez, referindo-se a um ídolo assírio ou babilônio (Ezequiel 8:14). Ao regressarem do exílio da Babilônia, os judeus passaram a usar o nome "Tamuz" para designar o quarto mês, e desde então seu uso ficou estabelecido, sendo comum nos escritos dos sábios.


AV ou Ab  (corresponde a julho/agosto) - é o nome pós-exílico do 5.° mês lunar do calendário sagrado judaico. O significado do nome Ab (Av) é incerto; alguns escritores relacionam á palavra Pai.
O nome é babilônico de origem e apareceu no Talmude* por volta do século 3.
Na Bíblia não é mencionado diretamente por nome, mas apenas como o “quinto mês”. Segundo Reis 25:8 diz que foi no sétimo dia deste mês que Nebuzaradã, servo do rei de Babilônia, “veio a Jerusalém”.  escritos judaicos pós-exílicos.
"Ora, no quinto mês, no sétimo dia do mês, no ano décimo nono de Nabucodonozor, rei de Babilônia, veio a Jerusalém Nebuzaradão, capitão da guarda, servo do rei de Babilônia;"
1 Av. - (1273 aC) - Morte de Aaron O sumo sacerdote Arão, que era o irmão de Moisés e de Miriam, morreu aos 123 do ano hebraico 2488 (1273 aC). Esta é a única yahrzeit (data do óbito) mencionado explicitamente na Torá (Números 33:38 "Então Arão, o sacerdote, subiu ao monte Hor, conforme o mandado do Senhor, e ali morreu no quadragésimo ano depois da saída dos filhos de Israel da terra do Egito, no quinto mês, no primeiro dia do mês.").
9 do mês de Av — a destruição pelos babilônicos, no ano 586 antes da Era Comum, do Templo de Salomão, ou Primeiro Templo de Jerusalém, e a destruição do Segundo Templo, no ano 70 da nossa era, pelos Romanos.
*Talmude - Livro Sagrado dos judeus, um registro das discussões rabínicas que pertencem à lei, ética, costumes e história do judaísmo.

Elul, é o décimo-segundo mês do ano civil judaico e o sexto mês do ano eclesiástico no calendário hebraico. É um mês de verão de 29 dias. Corresponde a agosto/setembro no calendário gregoriano. No árabe levantino o mês de Elul é pronunciado Eyloul ou Ayloul e é o equivalente ao nono mês do calendário gregoriano (Setembro).
O mês de Elul é um tempo de arrependimento na preparação para as Grandes festas no judaísmo de Rosh Hashaná e Yom Kipur. No aramaico (a linguagem falada por judeus vivendo no tempo em que os meses receberam nomes), a palavra "Elul" significa "busca".
No hebraico, Elul é um acrônimo de "Ani Ledodi Vedodi Li"(Eu estou para o meu Amado e meu Amado está para mim). Elul é visto como um tempo de um indivíduo buscar em seu coração em preparação para o Dia do Julgamento que está por vir, o Rosh Hashaná, e o Dia do Perdão, o Yom Kipur.
Citado na Bíblia em Neemias 6:15 “Acabou-se, pois, o muro aos vinte e cinco do mês de elul, em cinqüenta e dois dias”.

Etanim/Tisri, que corresponde a setembro/outubro, é o primeiro mês do calendário civil hebraico, e o sétimo mês do calendário religioso. Encontramos na Bíblia em:
1º Reis 8:2 “De maneira que todos os homens de Israel se congregaram ao rei Salomão, na ocasião da festa, no mês de etanim, que é o sétimo mês”.
Nesse mês se comemora a festa das Trombetas (Levítico 23:24 “Fala aos filhos de Israel: No sétimo mês, no primeiro dia do mês, haverá para vós descanso solene, em memorial, com sonido de trombetas, uma santa convocação”) e dos Tabernáculos (Levítico 23:39 “Desde o dia quinze do sétimo mês, quando tiverdes colhido os frutos da terra, celebrareis a festa do Senhor por sete dias; no primeiro dia haverá descanso solene, e no oitavo dia haverá descanso solene”);
Neemias 8:13,14,16 “Ora, no dia seguinte ajuntaram-se os cabeças das casas paternas de todo o povo, os sacerdotes e os levitas, na presença de Esdras, o escriba, para examinarem as palavras da lei; e acharam escrito na lei que o Senhor, por intermédio de Moisés, ordenara que os filhos de Israel habitassem em cabanas durante a festa do sétimo mês; Saiu, pois, o povo e trouxe os ramos; e todos fizeram para si cabanas, cada um no eirado da sua casa, nos seus pátios, nos átrios da casa de Deus, na praça da porta das águas, e na praça da porta de Efraim”.
Atualmente, nesse mês também é comemorado o ano novo (Rosh Hashaná).

Bul / Maresvan (Cheshvan), é o segundo mês do ano civil e o oitavo mês do ano eclesiástico do calendário hebraico. Na Bíblia é chamado de Bul. É um mês de outono de 29 dias, exceto em anos "completos", no qual tem 30 dias. Cheshvan geralmente cai em Outubro-Novembro no calendário gregoriano, é citado na Bíblia em:
1º Reis 6:38 “E no undécimo ano, no mês de bul, que é o oitavo mês, se acabou esta casa com todas as suas dependências, e com tudo o que lhe convinha. Assim levou sete anos para edificá-la”.

Quisleu (Kislev), é o terceiro mês do ano civil, e o nono mês do calendário judaico. Corresponde a novembro/dezembro, é citado na Bíblia em:
Neemias 1:1 “Palavras de Neemias, filho de Hacalias. Ora, sucedeu no mês de quisleu, no ano vigésimo, estando eu em Susã, a capital”.
Zacarias 7:1 “Aconteceu no ano quarto do rei Dario, que a palavra do Senhor veio a Zacarias, no dia quarto do nono mês, que é quisleu”.

Tebet (Tevet), é o nome do quarto mês do calendário civil judaico e décimo do calendário religioso. É um mês de inverno. Corresponde a dezembro/janeiro, é citado na Bíblia em:
Ester 2:16 “Ester foi levada ao rei Assuero, ao palácio real, no décimo mês, que é o mês de tebete, no sétimo ano de seu reinado”.

Sebat (Shvat, Shevat ou Shebat) é o nome do quinto mês do calendário civil e décimo primeiro do calendário religioso judaico. É um mês de inverno de 30 dias, corresponde a janeiro/fevereiro no calendário gregoriano, é citado na Bíblia em:
Zacarias 1:7 “Aos vinte e quatro dias do mês undécimo, que é o mês de sebate, no segundo ano de Dario, veio a palavra do Senhor ao profeta Zacarias, filho de Berequias, filho de Ido, dizendo...

Adar, é o 12º mês e, em alguns anos, também o 13º mês do calendário judaico. Adar é o último mês do ano, e tem 29 dias. Nos anos em que há treze meses, há dois meses de nome Adar;  Adar I, com 30 dias, e Adar II, com 29. O mês extra é chamado de mês embolístico**. Corresponde a fevereiro/março, é citado na Bíblia em:
Ester 3:7, 13 “No primeiro mês, que é o mês de nisã, no ano duodécimo do rei Assuero, se lançou Pur, isto é, a sorte, perante Hamã, para cada dia e para mês, até o duodécimo, que é o mês de adar... Enviaram-se as cartas pelos correios a todas províncias do rei, para que destruíssem, matassem, e fizessem perecer todos os judeus, moços e velhos, crianças e mulheres, em um mesmo dia, a treze do duodécimo mês, que é o mês de adar, e para que lhes saqueassem os bens”.
Ester 8:12 “num mesmo dia, em todas as províncias do rei Assuero, do dia treze do duodécimo mês, que é o mês de adar”.
Esdras 6:15 “E acabou-se esta casa no terceiro dia do mês de Adar, no sexto ano do reinado do rei Dario".
**Anos embolísticos ou longos têm uma duração de 383, 384 ou 385 dias.

Fontes:
wikipédia; Marques, M. N. Origem e Evolução do Nosso Calendário. Observatório Astronômico de Lisboa, 2006; Calendário Hebraico; infoescola -Brasil; superdicas-Francisco Panizo; Dicionário Teológico; webJudaica; Judaísmo. 


Leia também:
Aqui eu Aprendi!

23 comentários:

  1. Muito profundo gloria Deus.

    ResponderExcluir
  2. Gostaria de saber o significado desses nome dos meses, pois sei que são nomes babilonicos, isso me isnteressa pois procuro os nomes de blasfemia contra Deus, que indicam a Babilonia, pois sei que Jerusalém é a cidade que tem 7 colinas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A paz do Senhor Jesus Elza Maria.
      Segue uma breve resposta, de certo que necessitaríamos de maior pesquisa e, talvez, um artigo para este assunto.

      Babilônia é o nome de uma antiga cidade, que foi a capital da Suméria e da Acádia, na região que hoje é território do Iraque.
      No artigo Calendário Bíblico - parte 1 podemos conhecer um pouco sobre a história do Calendário.
      Os povos antigos não sabiam como o sistema solar funcionava, mas eram bons observadores das mudanças que aconteciam na natureza e usaram suas observações para desenvolver seus calendários (podemos ver na postagem Calendário Bíblico - parte 2). Observavam as mudanças das estações, o que era muito importante para saberem quando fazer suas plantações.

      Um bom exemplo é o nome "Adar", da mesma forma que os demais nomes de meses do calendário hebraico, remonta à Babilônia. Origina-se da palavra "ADARO", na língua assíria, que significa celeiro, pois nesta época preparam-se os celeiros para a colheita próxima. Alguns “outros” nomes já os cito no texto.
      Temos também o mês de Bul. Bul caía por volta do começo da estação chuvosa do outono, ótimo período para a semeadura da cevada e do trigo.

      O nome dos meses babilônicos era obrigatório em todo o território como uma conseqüência dos impérios mundiais. Mas, temos o caso do mês de Tamuz. Tamuz era o nome de uma deidade babilônia “Ezequiel 8.14” (Osíris para os egípcios).
      O uso do nome pagão Tamuz, para referir-se ao quarto mês, bem como o uso de outros nomes pós-exílicos, talvez tenha sido apenas uma questão de conveniência entre os judeus. Convém lembrar que eles eram então um povo subjugado, obrigados a ter tratos e prestar contas a potências estrangeiras que os dominavam, e, por isso, não é de estranhar que usassem os mesmos nomes de meses que essas potências estrangeiras usavam.

      Lembrando: O calendário gregoriano em vigor atualmente tem meses com nomes dados em homenagem aos deuses Jano e Marte, e à deusa Juno, bem como de Júlio e Augusto César, não obstante, continua a ser usado pelos cristãos que estão sujeitos às “autoridades superiores”.

      Espero ter suprido sua curiosidade e ter somado para nosso conhecimento.
      E a resposta acabou virando uma postagem.
      Obrigado pelo comentário e esteja sempre à vontade para participar.
      Deus abençoe!
      Pastor Ismael

      Excluir
  3. Me esclareceu muitas dúvidas. Obrigada

    ResponderExcluir
  4. Minha sogra assistiu uma pregação aonde o pregador fala que o ano termina dia 13 de Setembro e que tá na bíblia ...você pode tirar minha dúvida sobre isto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Paz do Senhor Gabryhella.
      Não dê ouvidos a tudo que dizem por ai.
      Se assistiu uma pregação, conforme você disse, acredito que o pregador tenha mencionado o texto bíblico em que baseou está heresia mas, se ele não falou, e se baseou em "achismo", tenha cautela e peça ao Espírito Santo lhe livrar deste mal. Deixo para a irmã o conselho de Paulo a Timóteo, "Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios” 1Tm 4.1

      Hoje em dia há muitas especulações (asteroides, cometas que explodirão), enganos, falsos profetas, falsos doutores e gananciosos querendo "aplausos". Procure homens e mulheres inspirados por Deus (ainda existem sim!), e tenho certeza que o Espírito Santo lhe esclarecerá.

      Temos que tomar cuidado pois nem todos que dizem Senhor, Senhor, são realmente do SENHOR. Nem todos os caminhos levam a Deus! há muita heresia.
      Como pastor a oriento! Temos preocupações em preservar a Igreja do SENHOR!

      Todas as pessoas têm o direito de professar a religião de sua escolha!
      A tolerância religiosa é extensiva a todos. Isso não significa, porém, que todas as religiões sejam boas. Nos dias de Jesus haviam grupos religiosos (cito dois):
      - os saduceus (At. 5.17)
      - os fariseus (At 15.5)
      Os dois grupos tinham posições religiosas distintas (At 23.8). Mesmo assim, Jesus não os poupou, chamando-os de hipócritas, serpentes, raça de víboras (Mt 23.13-15,33).

      Jesus deixa claro que não existe a ideia de que todos os caminhos levam a Deus. Ele, o Filho de Deus, ensina que existem "apenas" dois caminhos (Mateus 7 13-14):
      - o estreito, que conduz à vida eterna;
      - o largo e espaçoso, que leva a destruição.

      Os apóstolos tiveram a mesma preocupação: não permitir que heresias, falsos ensinos, adentrassem na igreja. O primeiro ataque doutrinário lançado contra a Igreja foi o legalismo. Alguns judeus-cristãos estavam instigando novos convertidos à prática das leis judaicas, principalmente a circuncisão. Em Antioquia, por exemplo, havia uma igreja constituída de pessoas bem preparadas no estudo das Escrituras (At 13.1), que perceberam a gravidade do ensino de alguns que haviam descido da Judéia e ensinavam: Se não vos circuncidardes segundo o costume de Moisés, não podereis ser salvos (At 15.1). Tais ensinamentos eram uma ameaça à Igreja. Foi necessário que um concílio apreciasse essa questão e se posicionasse. Em Atos 15.1-35 temos a narrativa que demonstra a importância de considerarmos os ensinos que contrariam a fé cristã. Outras fontes ameaçam a Igreja. Dentre elas, destacamos a pluralidade religiosa.

      Aqui no blog tenho mais artigos que comentam sobre este e vários outros assuntos relacionados a Apostasia, Heresia, Falsa Fé, Idolatria, “Achismo”, Falsos Mestres, etc...

      Deixo um link para sua apreciação:
      http://aquieuaprendi.blogspot.com.br/2014/02/o-que-e-uma-seita-parte-1.html

      Obrigado pela participação.
      abraço fraterno
      Pastor Ismael

      Excluir
    2. gilcont@terra.com.br31 de dezembro de 2016 19:21

      Creio que a pregação que a Gabriele ouviu se refere ao calendário judaico religioso. Nesse caso o pregado está com razão.

      Excluir
  5. A Paz do Senhor Jesus esteja com todos!

    Amado em Cristo, que maravilha ter encontrado o seu blog. Tenho me policiado na conduta afim de seguir unicamente na direção do Sagrado. É de suma importancia encontrar artigos como o seu e o que é mais interessante, em uma de suas respostas à uma irmã, fala dos falsos profetas. Muitos estão enganando os cristãos, arrebanhando-os para o caminho errado. Para esses o Senhor já tem a punição, mas para os que o buscam verdadeiramente, cabe a vigília, pois muitos são os que ensinam, mas somente uns poucos ensinam o que é certo.
    Gostei muito das suas explicações e gostaria de seguir o seu blog. Como faço?

    Grato.

    Amauri Dias de Oliveira
    Osasco - SP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Paz do Senhor Jesus.
      Amauri, obrigado pelas palavras de apoio, que Deus nos ajude em tudo!
      Fico muito contente em te-lo como um dos que acompanham nosso trabalho, para seguir o blog basta clicar em "participar deste site" no topo da pagina e entrar com as informações que o G+ solicita.
      Obrigado!

      abraço fraterno
      Pastor Ismael

      Excluir
  6. Sr. Ismael bom dia!
    Fico confuso em uma coisa
    o sr. Pode explicar sobre as leis de deus ( dez mandamentos )
    A minha dúvida ta no sabado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro leitor Adrian. Obrigado pela participação.
      Acredito que tenha lido a postagem "Os Dez Mandamentos" publicado aqui no blog, se não leu, convido-o, assim que puder, fazer a leitura, segue link: http://aquieuaprendi.blogspot.com.br/2014/02/os-dez-mandamentos.html ; quanto a sua pergunta sobre o sábado, também deixo para sua apreciação e leitura o texto publicado: "4º Mandamento - Santificarás o Sábado" e veja se esclareceu suas dúvidas.
      Espero ter ajudado e volte a compartilhar conosco seu comentário.

      abraço fraterno
      Pastor Ismael

      Excluir
    2. Oi bom dia.
      Obrigado pelo link ja li, gostei e vc e muito sábio.
      E sobre o calendário tambem e otimo o post. Depois mais ... faço mais perguntas rsrsrsr

      Excluir
    3. Que bom que leu e que gostou. Muito obrigado, Adrian, pelo retorno.
      Fique a vontade em fazer perguntas, não sei se conseguirei responder todas (risos) mas com certeza tentarei. forte abraço.
      Pastor Ismael

      Excluir
    4. Ismael bom dia novamente, tem algum link que fala o que deve comer ou nao?


      Abraços

      Excluir
    5. Bom dia.
      Acredito que o assunto que deseja estudar seja sobre o Concílio de Jerusalém. Temos aqui no blog as postagens sobre este assunto no marcador "concílio". Mas deixo para você o link de um texto em específico; http://aquieuaprendi.blogspot.com.br/2013/10/concilio-carta-de-jerusalem-parte-3.html

      Espero ter ajudado.

      abraço fraterno
      Pastor Ismael

      Excluir
    6. Boa noite meu amigo
      obrigado
      cada dia mais to apredendo.
      Srsrs

      Abraços e que deus te acompanhe.

      Excluir
  7. muito bom, mas só um pequeno questionamento, não me lembro de ver escrito na biblis ano de 13 mêses ou 381 dias. isto me paresse coisas de rabinos seguindo cal... pagão, a biblia só assinala 12 meses no ano, obrigado SHALOM;

    ResponderExcluir
  8. Shalom
    Sou grata a Deus por encontrar esse blog e conhecer um pouco mais da Bíblia.
    Quando eu estava para inaugurar a Casa de Oração perguntei ao Pai qual seria o dia da inauguração e a resposta veio no Livro do Profeta Ageu 2,18-19 e exatamente este é o dia do meu aniversário. Estou impactada e feliz porque sempre quiz saber qual era esse mês.

    ResponderExcluir
  9. Caro irmão e pragador Ismael, tem como me responder o que preciso saber? As festas santas que o Senhor ordenou aos judeus eram comemoradas nos dias de sábados? Os dias destas festividades coincidiam todos os anos, nos mesmos dias de cada semana, como por exemplo: dia 1 cai no domingo ou sábado, todos os anos, por ser um calendário lunar-solar? Obrigado, pode comentar aqui e mandar-me por e.mail por favor: edvaldopregador@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz do Senhor. Edvaldo, aqui no blog, tenho uma postagem sobre as Festas Judaicas que ajudará bastante a responder suas perguntas.
      Lembrando sempre que o calendário Judaico é diferente do nosso, sua base está nas fases da lua e, sabendo-se disso, suas festas (comemorações) não caem sempre no mesmo dia do ano.
      Acesse o link: http://aquieuaprendi.blogspot.com.br/2014/04/festas-do-calendario-judaico-festas.html

      Obrigado pela participação
      volte sempre
      abraço fraterno

      Excluir

O comentário será postado assim que o autor der a aprovação.

Respeitando a liberdade de expressão e a valorização de quem expressa o seu pensamento, todas as participações no espaço reservado aos comentários deverão conter a identificação do autor do comentário.

Não serão liberados comentários, mesmo identificados, que contenham palavrões, calunias, digitações ofensivas e pejorativas, com falsidade ideológica e os que agridam a privacidade familiar.

Comentários anônimos:
Embora haja a aceitação de digitação do comentário anônimo, isso não significa que será publicado.
O administrador do blog prioriza os comentários identificados.
Os comentários anônimos passarão por criteriosa analise e, poderão ou não serem publicados.

Comentários suspeitos e/ou "spam" serão excluídos automaticamente.

Obrigado!
" Aqui eu Aprendi! "

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...