Membros / Amigos

Conheça mais de nossas Postagens

Research - Digite uma palavra ou assunto e Pesquise aqui no Blog

sábado, 16 de fevereiro de 2019

Tentação - A Batalha por nossas Escolhas e Atitudes

“Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo ” 1Jo 2.16


Tentação — A batalha por nossas escolhas e atitudes

Para introduzir a lição desta semana é importante o prezado professor, a prezada professora, fazer um preâmbulo, com base em Êxodo 34.28 e Deuteronômio 9.9,11, em que certo paralelismo entre os quarenta anos de peregrinação de Israel e os quarenta dias e noites de tentação de Jesus fique bem claro. Mostre o contraste entre a reprovação da nação de Israel no deserto e a aprovação de Jesus. Esta seria uma boa maneira de introduzir a aula desta semana.

Sobre a tentação
Na Bíblia está presente a ideia de “tentação” como provação. Essa perspectiva o comentarista atinge ao desenvolver o primeiro tópico da lição a partir de “a provocação de Refidim” e “a experiência de Massá e Meribá ”. A “contenda” foi o elemento chave da reprovação de Deus a respeito da nação. Aqui, vemos que as Escrituras revelam a tentação, muitas vezes, como uma provação que Deus permite para testar nossa fé, amadurecermos e estabelecer em nós um senso de obediência que transcende os ritos religiosos. Quando somos aprovados por Deus, depois de passar pela provação, faz todo sentido as palavras do profeta Jeremias: “porei a minha lei no seu interior e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo” (31.33b).

Sobre a tentação de Jesus
Neste tópico a palavra “deserto” deve ser destacada. Aqui, podemos lembrar as palavras do profeta Oseias: “eis que eu a atrairei, e a levarei para o deserto, e lhe falarei ao coração”. Sim, o deserto nas Escrituras aparece como um lugar onde Deus fala com o ser humano. O segundo tópico desta lição pode ser desenvolvido na perspectiva de que a tentação hoje pode acontecer num período de solidão, como Jesus estava no deserto, quando foi tentado. Embora sistematicamente tentado, nosso Senhor esteve sempre em comunhão com o Pai.

Sobre a tríplice tentação
Por fim, este terceiro tópico especifica as esferas em que a tentação vem sobre a vida do crente:
(1) Tentação física, a ideia de obter benefício para satisfazer as próprias necessidades (fome: transformar pedras em pão);
(2) Tentação religiosa, a ideia de usar “a experiência religiosa” para a sua própria vaidade (aparecer em público amparado por anjos);
(3) Tentação política, a ideia de adquirir poder político para dominar sobre todas as coisas.

Nesta oportunidade trataremos sobre as escolhas e atitudes na jornada da vida espiritual. Neste contexto, aparece o tema da tentação. Em todo tempo somos instados pelo Maligno a negar nossa vida de santidade e ceder para as obras da carne afim de que manchemos as vestes espirituais. Não podemos nos dobrar às falsas promessas do Maligno. Precisamos perseverar na fé em Cristo, buscar a sua preciosa vontade para a nossa vida e honrá-lo até o fim na caminhada cristã. Uma boa aula!

A tentação no sentido religioso é a atração ou sedução para praticar o mal tendo por recompensa prazeres ou lucros ilícitos.

INTRODUÇÃO

Há certo paralelismo entre os quarenta anos da peregrinação de Israel no deserto e os quarenta dias e as quarenta noites em que o Senhor Jesus jejuou no lugar ermo. A diferença é que Israel não passou no teste, e Jesus foi o vitorioso sobre Satanás. Esses dois cenários têm a ver com nossas escolhas e atitudes na jornada de nossa vida espiritual.

Ainda que sejamos tentados, em Jesus, somos vitoriosos.



I. A TENTAÇÃO

Os termos “tentação” e “tentar” na Bíblia aplicam-se tanto no campo secular como no campo religioso. Vamos analisar o assunto partindo dos significados e sentidos dessas palavras, levando em consideração o contexto das várias passagens bíblicas.

1. A provocação de Refidim.
O substantivo “tentação” significa literalmente “teste, provação, instigação”. Na contenda paradigmática de Refidim, no deserto, temos o significado dessa palavra: “E chamou o nome daquele lugar Massá e Meribá, por causa da contenda dos filhos de Israel, e porque tentaram ao SENHOR, dizendo: Está o SENHOR no meio de nós, ou não?” (Êx 17.7).

O vocábulo hebraico massá significa “tentação”, e meribá quer dizer “contenda”. Os israelitas estavam testando o próprio Deus. A Septuaginta traduz massá por peirasmós, “tentação”, a mesma palavra usada no Novo Testamento grego. O enfoque do termo aqui é sobre a ideia de instigação ou sedução para o pecado (Mt 6.13; 26.41).

2. A experiência de Massá e Meribá.
Ninguém deve testar a Javé, o Deus de Israel, pois o nosso dever é obedecê-lo (Dt 6.16). O que aconteceu nessa contenda teve a reprovação divina, de modo que serviu como um paradigma daquilo que não se deve fazer (Sl 95.8,9). Testar Deus é questionar sua fidelidade no pacto e duvidar de sua autoridade (Sl 78.41,56). Entendemos que tentar o Criador reflete a nossa descrença nEle, e a Bíblia é contra essa prática (Is 7.12; At 15.10).

3. Como um teste.
Isso é muito comum no Antigo Testamento (1Rs 10.1). O exemplo clássico é a passagem do sacrifício de Isaque: “E aconteceu, depois destas coisas, que tentou Deus a Abraão” (Gn 22.1). A finalidade disso é revelar ou desenvolver o nosso caráter (Êx 20.20; Jo 6.6).

O hebraico aqui para “tentou” é nissá, que tem o sentido de testar, experimentar, usado para pesquisas científicas hoje em Israel. A Septuaginta traduziu por peirazo, de onde vem o substantivo peirasmós, que aparece no Novo Testamento com a mesma ideia de teste: “e puseste à prova os que dizem ser apóstolos e o não são” (Ap 2.2). O Novo Testamento emprega o termo também com ideia de tentativa (At 16.7; 24.6).

A provocação de Refidim e a experiência de Massá e Meribá, embora esta fosse uma ofensa a Deus, mostram que a tentação é um período de teste em nossa vida.


Estude também:


II. A TENTAÇÃO DE JESUS

A tentação de Jesus no deserto é o primeiro acontecimento registrado de sua história depois do batismo por João Batista no rio Jordão. Era de se esperar que aquele que veio “para desfazer as obras do diabo” (1Jo 3.8) enfrentasse a reação de Satanás. O Inimigo de nossa alma decide lutar por sua causa. É que a chegada do Salvador alvoroçou todo o reino das trevas.

1. Levado ao deserto (v.1).
O deserto é um lugar onde os seres humanos percebem a grandeza de Deus e a fragilidade humana; é um lugar de profundo silêncio para meditação e oração, onde há vastidão de espaço para ouvir a voz de Deus. Foi no deserto que grandes homens de Deus foram preparados para o serviço sagrado, como Moisés (At 7.30-33) e Elias (1Rs 19.4-10).

O termo “deserto” nessa passagem não é suficiente para determinar o lugar exato em que Jesus suportou os quarenta dias de jejum e tentações. Mas há concordância entre muitos estudiosos de que se trata de uma parte despovoada da Judeia, onde João Batista iniciou o seu ministério. A tradição posterior indica o monte da Quarentena a oeste de Jericó, onde foi construída na encosta da montanha uma igreja no século VI.

2. Sobre o jejum de Jesus (v.1).
Segundo a narrativa de Mateus, Jesus jejuou “quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome”. Só mais dois personagens bíblicos praticaram um jejum tão prolongado de quarenta dias, Moisés e Elias, mas isso aconteceu em situações específicas (Êx 34.28; Dt 9.9,11; 1Rs 19.8). Isso mostra que esse tipo de jejum (quarenta dias e quarenta noites) não é doutrina da Igreja. Lucas afirma que Jesus, “naqueles dias, não comeu coisa alguma, e, terminados eles, teve fome” (Lc 4.2). O verbo grego, nesteuou, “jejuar”, significa literalmente “abster-se de alimento”.

3. Como a tentação aconteceu (v.3a).
Está claro que Satanás se apresentou a Jesus de forma visível, mas os detalhes são desconhecidos. Essa tentação foi literal, e isso se evidencia pelos detalhes da própria narrativa. Rejeitamos, pois, a ideia de uma tentação subjetiva, simbólica ou visionária. Com certeza, Jesus mesmo contou essa experiência aos seus discípulos.

Levado ao deserto pelo Espírito Santo, Jesus foi tentado pelo Diabo.


SUBSÍDIO DOUTRINÁRIO
É importante termos uma ideia bem clara acerca da depravação total, pois a doutrina nos ajuda a compreender a luta interna no processo da tentação. Por isso, leia o seguinte texto, objetivando ter tal consciência: “A atual condição espiritual da humanidade, considerada à parte da graça de Deus, é adequadamente descrita como tenebrosa e desanimadora. Com certeza, Wesley, em sua doutrina do pecado original, emprega o que só pode ser descrito como ‘superlativos negativos’ para demonstrar o total abismo moral e espiritual em que a humanidade decaiu. Ele comenta: ‘O homem, por natureza, é repleto de todo tipo de maldade? É vazio de todo bem? É totalmente caído? Sua alma está totalmente corrompida?’. Ou, para fazer o teste ao contrário, ‘toda imaginação dos pensamentos de seu coração [é] só má continuamente?’. Admita isso, e até aqui você é um cristão. Negue isso, e você ainda é um pagão” (COLLINS, Kenneth. Teologia de John Wesley: O Amor Santo e a Forma da Graça. RJ: CPAD, 2010, p.97).

Tentador
“[Do lat. tentatorem] O que induz a práticas que contrariam às leis de Deus. Nas Sagradas Escrituras, é Satanás o tentador por antonomásia. Ou seja: é o agente e o estimulador da tentação”. Leia mais em Dicionário Teológico, CPAD, p.270.

III. A TRÍPLICE TENTAÇÃO

Mateus e Lucas registraram as três últimas investidas de Satanás contra Jesus, e elas foram o ápice dessas tentações. Na verdade, Jesus foi tentado em todos os quarenta dias: “quarenta dias foi tentado pelo diabo” (Lc 4.2). E continuou sendo tentado durante todo o tempo de seu ministério (Lc 22.28; Hb 4.15).

1. A primeira das três últimas tentações (v.3b).
O objetivo dessa investida diabólica era incitar Jesus a usar seus poderes em benefício próprio. A declaração pública do próprio Deus a respeito de Jesus, “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mt 3.17), indica que isso era do conhecimento de Satanás. Mas, mesmo assim, ele desafiou Jesus quanto à sua identidade: “Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães”. À semelhança de Eva, esse pecado consistia em satisfazer o apetite físico com algo lhe fora proibido.

2. A segunda tentação (v.5).
Aqui, o objetivo de Satanás é induzir o Senhor Jesus a tentar o Pai e persuadi-lo a um ato de vaidade. A “Cidade Santa”, para onde Jesus foi transportado, é Jerusalém (Ne 11.1; Is 52.1). Satanás incita Jesus a jogar-se do pináculo do templo abaixo usando o texto de Salmos 91.11,12. Essa passagem refere-se a alguém que confia em Deus e, por isso mesmo, ao próprio Senhor Jesus. Ter a proteção divina, conforme as promessas desse salmo, é muito diferente de tentar a Deus. A proposta de Satanás era para Jesus testar Deus, algo que as Escrituras proíbem (Êx 17.2-7).

3. A terceira tentação (v.8).
Esse último ataque consistia em induzir Jesus a se apoderar do domínio do mundo por meios ilícitos. Como disse um grande comentarista dos Evangelhos: “A concessão era pequena; a oferta, grande”. Teria Satanás o controle do mundo a ponto de oferecê-lo a quem desejasse? Jesus não discutiu sobre essa reivindicação do Diabo. O Novo Testamento mostra que Satanás é “o deus deste século” (2Co 4.4); “o príncipe das potestades do ar” (Ef 2.2); “os príncipes das trevas deste século, […] as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais” (Ef 6.12) e “todo o mundo está no Maligno” (1Jo 5.19). Mas Satanás não tem nada para ninguém; tudo não passa de mera aparência e engano.

4. Respostas de Jesus.
O ataque diabólico foi nas áreas mais sensíveis do ser humano: “a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida” (1Jo 2.16). Mesmo com toda a sua habilidade maligna, foi grande e devastadora a derrota de Satanás (v.11). Ele foi vencido pelo poder da Palavra de Deus: “está escrito, está escrito e está escrito”. Jesus citou três passagens do Pentateuco (Dt 6.13,16; 8.3). Assim, o grande conquistador, o Senhor Jesus Cristo, pode simpatizar com os que são tentados, pois Ele mesmo foi tentado de maneira real. Podemos nos consolar porque temos um Protetor no céu que é capaz de se compadecer de nossas fraquezas (Hb 4.15).

Três tentações de Jesus: transformar pedras em pães; jogar-se do pináculo do templo e ser amparado por um anjo e dominar o mundo se adorasse o Diabo.

SUBSÍDIO VIDA CRISTÃ
“[…] A presença de Cristo conosco não é apenas como a de um companheiro externo, mas é uma força real e divina, revolucionando nossa natureza e tornando-nos como Ele é. De fato, o propósito final e último de Cristo é que o crente seja reproduzido segundo a sua própria semelhança, por dentro e por fora.
Paulo expressa a mesma coisa no primeiro capítulo de Colossenses, quando diz: ‘Para, perante ele, vos apresentar santos, e irrepreensíveis, e inculpáveis’ (Cl 1.22). Esta transformação deve ser uma transformação interior. É uma transformação de nossa vida, de nossa natureza segundo a natureza dEle, segundo a semelhança dEle.
Como é maravilhosa a paciência, como é maravilhoso o poder que toma posse da alma e realiza a vontade de Deus — uma transformação absoluta segundo a maravilhosa santidade do caráter de Jesus! Nosso coração fica desconcertado quando pensamos em tal natureza, quando contemplamos tal caráter. Este é o propósito de Deus para você e para mim” (LAKE, John G. Devocional. Série: Clássicos do Movimento Pentecostal. RJ: CPAD, 2003, pp.31-32).


CONCLUSÃO

Diante dos fatos aqui expostos, aprendemos a não subestimar a força e os ardis de Satanás e seus demônios, pois ele ousou tentar o próprio Filho de Deus. Adão foi testado e não passou no teste (Gn 3.11,12). Da mesma forma, Israel foi reprovado logo no limiar de sua história como nação (Dt 9.12). Mas Jesus foi aprovado, Glória a Deus! (At 2.22).


Fonte:Lições Bíblicas - 1º Trimestre 2019 - Batalha Espiritual - O Povo de Deus e a Guerra contra as Potestades do mal.

Aqui eu Aprendi!

Horário de Verão 2019 - Término 16/02/2019

Horário de verão acaba neste fim de semana em 10 estados e no DF

Moradores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste devem atrasar relógios em 1 hora à meia-noite deste sábado (16/02/2019)

O horário de verão de 2018, que começou no dia 4 de novembro, termina à 0h deste domingo (17), ou meia-noite de sábado (16). Ao término do horário de verão, os moradores de 10 estados e do Distrito Federal devem atrasar o relógio em uma hora.

O ajuste vale para as regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal).

Este ano, o horário de verão foi encurtado - começou mais tarde. Antes, ele se iniciava no terceiro domingo de outubro. Em dezembro de 2017, o presidente Michel Temer assinou decreto que encurtou a duração do horário de verão, atendendo a pedido do Tribunal Superior Eleitoral, para que o início do horário de verão não ocorresse entre o primeiro e o segundo turno da eleição.

O Palácio do Planalto chegou a informar em 2018 que, a pedido do Ministério da Educação, a entrada em vigor do horário seria adiada para dia 18 de novembro, a fim de não prejudicar provas do Enem, mas acabou decidindo manter a data de 4 de novembro.

As mudanças na data de início do horário de verão chegaram a causar confusão. No dia 15 de outubro, usuários de telefone celular reclamaram da mudança automática do horário em seus aparelhos para o horário de verão.

No Twitter, muitos consumidores reclamaram ter perdido uma hora de sono em pleno retorno de feriado e cobraram explicações da TIM.

Na semana seguinte, mais clientes de operadoras de celular passaram pela mesma situação, em que os relógios de seus aparelhos foram adiantados de forma automática para o horário de verão. Em São Paulo, alguns relógios de rua também foram adiantados.


Curiosidade:
O horário de verão também é adotado em países como Canadá, Austrália, Groelândia, México, Nova Zelândia, Chile, Paraguai e Uruguai. Por outro lado, Rússia, China e Japão, por exemplo, não implementam esta medida.

Aqui eu Aprendi!

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

A gente vai embora...

"Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo." Mateus 22:37-39

...e nos perguntam: Por que amar tanto?

Resposta:  - Porque a gente vai embora...

Estamos todos chocados com a tragédia ocorrida em Brumadinho (MG) em 25 Janeiro 2019!

Que continuemos intercedendo em oração.

Pense!

REFLEXÃO

A GENTE VAI EMBORA e fica tudo aí, os planos a longo prazo e as tarefas de casa, as dívidas com o banco, as parcelas do carro novo que a gente comprou para ter status.

A GENTE VAI EMBORA sem sequer guardar a comida na geladeira, tudo apodrece, e a roupa fica no varal.

A GENTE VAI EMBORA, se dissolve e some toda a importância que pensávamos que tínhamos, a vida continua, as pessoas superam e seguem suas rotinas normalmente.

A GENTE VAI EMBORA as brigas, as grosserias, a impaciência, tudo isso serviu pra me afastar de quem só me trazia felicidade e amor.

A GENTE VAI EMBORA e o mundo continua caótico, muito louco, como se a nossa presença ou ausência não fizesse a menor diferença. Na verdade, não faz. Somos pequenos, porém, prepotentes, arrogantes...

A GENTE VAI EMBORA, pois é! bem assim: Piscou, a vida se vai....! O cachorro que eu amo tanto, ele é doado e se apega aos novos donos. Os viúvos se casam novamente, andam de mãos dadas, apaixonados, e vão até ao cinema.

A GENTE VAI EMBORA e somos rapidamente substituídos no cargo que ocupávamos na empresa. As coisas que nem sequer emprestávamos são doadas, algumas jogadas fora. Quando menos se espera, A GENTE VAI EMBORA. Aliás, quem espera morrer? Se a gente esperasse pela morte, talvez a gente vivesse mais. Talvez a gente colocasse nossa melhor roupa hoje, talvez a gente comesse a sobremesa antes mesmo do almoço. Talvez a gente esperasse menos dos outros. Talvez perdoasse mais, risse mais, saísse à tarde para ver o por do sol, talvez a gente quisesse mais tempo e menos dinheiro. "Hoje o tempo voa amor..."

A partir do momento que a gente nasce, começa essa viagem, jornada fantástica, veloz, com destino ao fim; rumo ao fim, e ainda há aqueles que vivem com pressa! - "eu ainda tenho pressa!"

O QUE É QUE ESTAMOS FAZENDO COM O POUCO TEMPO QUE NOS RESTA?

Que possamos ser cada dia melhores e que saibamos reconhecer o que realmente importa nessa nossa BREVE passagem pela Terra!

Até porque, A GENTE VAI EMBORA...


Autoria Sergio Cursino - Jornalista/Locutor
Aqui eu Aprendi!

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Ser Feliz

"Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto. Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não imputa maldade, e em cujo espírito não há engano." Salmos 32:1,2

"Você pode ter Defeitos, ser Ansioso, e viver alguma vez Irritado, mas NÃO esqueça que a sua Vida é a Maior Empresa do Mundo. Só "Você" pode impedir que vá em declínio.

Muitos lhe Apreciam, lhe Admiram e o Amam!

Gostaria que lembrasse que ser Feliz NÃO é ter um Céu sem Tempestade, uma Estrada sem Acidentes, Trabalho sem Cansaço, Relações sem Decepções!

Ser Feliz é Achar a Força na Simplicidade, Esperança nas Batalhas, Segurança no Palco do Medo, Amor na Discórdia!

Ser Feliz NÃO é só Apreciar o Sorriso, mas Também Refletir sobre a Tristeza. Não é só Celebrar os Sucessos, mas Aprender Lições dos Fracassos. Não é só sentir-se Feliz com os Aplausos, mas ser Feliz no Anonimato.

Ser Feliz é Reconhecer que Vale a Pena Viver a Vida, apesar de todos os Desafios, Incompreensões, Períodos de Crise!

Ser Feliz não é uma Fatalidade do Destino, mas uma Conquista para Aqueles que Conseguem Viajar para Dentro de Si Mesmos.

Ser Feliz é Parar de Sentir-se Vítima dos Problemas, e se Tornar Autor da própria História. É Atravessar Desertos Fora de Si, mas Conseguir achar um Oásis no Fundo da Nossa Alma. É Agradecer a Deus por Cada Manhã, pelo Milagre da Vida!

Ser Feliz, não é ter Medo dos próprios Sentimentos. É Saber falar de Si. É ter Coragem de Ouvir um "Não". É sentir-se Seguro ao receber uma Crítica, mesmo que Injusta. É Beijar os Filhos, Mimar os Pais, Viver Momentos Poéticos com os Amigos, mesmo quando nos Magoam!

Ser Feliz é deixar Viver a Criatura que existe em Cada um de Nós; Livre, Alegre e Simples. É ter Maturidade para poder dizer: "Errei"! É ter a Coragem de dizer: "Perdão"! É ter a Sensibilidade para dizer: "Eu Preciso de Você"! É ter a Capacidade de dizer: "Te Amo"!

Que a tua Vida se Torne um Jardim de Oportunidades para ser Feliz!

Que nas suas Primaveras seja Amante da Alegria!

Que nos seus Invernos seja Amante da Sabedoria! E que quando Errar, Recomece tudo do Início, pois somente ASSIM seguirá Amando a Vida!

Descobrirá que ser Feliz, NÃO é Ter uma Vida Perfeita, mas Usar as Lágrimas para Irrigar a Tolerância, e Utilizar as Perdas para Treinar a Paciência, e Usar os Erros para Esculpir a Serenidade, e Utilizar a Dor para Lapidar o Prazer, e Utilizar os Obstáculos para Abrir janelas de Inteligência.

Nunca Desista!

Nunca Renuncie às pessoas que o Amam!

Nunca Renuncie à Felicidade, pois a Vida é um Espetáculo Incrível"!


Trecho adaptado do livro "Dez leis para ser feliz", de Augusto Cury.
Texto amplamente divulgado na internet

"Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os enfermos, e recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber." Atos 20:35


Aqui eu Aprendi!

segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Operadora Celestial

"Invoca-me, e te responderei; anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas, que não sabes." Jeremias 33.3

OPERADORA CELESTIAL INFORMA:

Evite que sua intimidade com Deus seja bloqueada;

Faça já uma recarga de pelo menos 30 minutos de oração e ganhe bônus de vitórias, sabedoria, paz, bênção, saúde, livramento, e...;

E mais:

Fale com Deus de Graça por tempo ilimitado, todos os dias por 24 horas;

Discando: SALMO 46:1 em todas as ligações;

Promoção válida até a volta de JESUS CRISTO;

Para maiores informações, consulte nossos regulamentos na Bíblia Sagrada mais próxima de você.


"Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos." Romanos 8 26-27


Lembre-se:
'Aquilo que Deus tem de melhor para nós, certamente se abrirá com a chave da oração, e consequentemente aquilo que não serve para nós, por intermédio da oração, o próprio Senhor nos livrará colocando-nos em segurança em seu jardim fechado.'


abraço fraterno
Pastor Ismael
adm.Blog
Aqui eu Aprendi!

sábado, 29 de dezembro de 2018

Feliz Ano Novo - chegou 2019

"Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará." Salmos 37:5

Para muitos o Ano Novo é uma época de expectativas e uma nova perspectiva. As tristezas e dores do ano findo, vestem-se agora de esperança. Para outros não muda nada além da data do calendário, tudo continua como antes. Os mesmos problemas, as mesmas adversidades… o “ano velho” não termina em dezembro, assim como o “ano novo” não começa nunca.

No entanto, como afirmou o escritor Charles Lamb: “Ninguém observa o 1.º de janeiro com indiferença”.

Nesta época sempre estamos mais reflexivos. Nossas reflexões podem estar centradas na esperança, ou no medo. O medo do novo, do desconhecido, do futuro imprevisível ou dos desgostos já previsíveis.

Lembremos das palavras do salmista: “Entrega teu caminho ao Senhor, confia nele e o mais Ele o fará”.

Descansemos em Deus a nossa vida e dediquemos a Ele o “Ano Novo”. Investindo tempo diário com Deus na leitura da Palavra e em oração. (by Antero - Ministério Pão Diário)


Que cada dia, cada instante, estejamos com alegria em nossos corações em seguir Aquele que nos concede a vitoria.

Um Maravilhoso Ano Novo a todos os Leitores, Amigos, Participantes, Incentivadores, Intercessores, Seguidores, Irmãos em Cristo, e o nosso muito obrigado! Que continuemos juntos crescendo na Graça e no Conhecimento, sempre com atitude de aprendiz, sempre aprendendo.

Que Deus nosso SENHOR nos oriente em tudo!


Ano Novo
transbordante de BÊNÇÃOS!  


Deus Abençoe!

do Amigo em Cristo
Pastor Ismael
adm.Blog
Aqui eu Aprendi!

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Na Montanha ou em Jerusalém

NA MONTANHA OU EM JERUSALÉM?... 

ARGUMENTOS SOBRE A RELIGIÃO - um passatempo favorito do Oriente Médio.

Alguns simplesmente falam por falar: minha fé é a mais antiga, a mais verdadeira ou a melhor. Às vezes, essas divergências se tornaram causas de divisões acrimoniosas entre os crentes, como mostra o número de facções judaicas, cristãs e muçulmanas.

Um dos mais veementes do mundo antigo é mencionado na passagem do Evangelho sobre a Mulher no Poço - o conflito entre judeus e samaritanos - (João 4:5-42).

A divisão entre judeus e samaritanos pode ser atribuída à divisão do reino de Davi em reinos do norte e do sul após a morte do rei Salomão.

O reino do norte, conhecido como Israel, foi invadida pelos assírios no 8° século a.C. .

O reino do sul foi chamado de Judá e seus habitantes acabaram sendo conhecidos como judeus.

O reino do sul permaneceria até ser conquistado pela Babilônia quase 200 anos depois.

Os Samaritanos afirmavam que eles eram o verdadeiro Israel, descendentes das tribos de Efraim e Manassés, que sobreviveram à destruição do reino setentrional de Israel pelos assírios em 722 a.C. . Para este dia Samaritanos preferem chamar-se Israelitas (a palavra Samaritano significa “Guardião da Lei”). Havia supostamente de um milhão deles no 1° século A.D. Apenas 750 permanecem como uma comunidade distinta hoje.

Os líderes religiosos judaicos e samaritanos ensinaram que era errado ter qualquer contato com o grupo oposto, e nenhum dos dois devia entrar nos territórios uns dos outros ou mesmo falar uns com os outros. É por isso que a mulher samaritana respondeu ao pedido de Jesus por uma bebida dizendo: “Como, sendo tu judeu, me pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana?” Pois os judeus não se relacionam com os samaritanos ”(João 4: 9).

Dada essa relação, a parábola de Jesus do Bom Samaritano foi especialmente vigorosa.

Os Samaritanos só aceitam como escritura os primeiros cinco livros do Antigo Testamento, a Torá (a Lei), rejeitando a autoridade de outras seções do Antigo Testamento (os livros proféticos / históricos), bem como o Talmude, uma fonte principal da Tradição Judaica. Seu texto da Torá difere daquele usado pelos judeus também. Os Samaritanos afirmam que sua versão da Torá era a original e que os judeus tinham um texto falsificado produzido por Esdras durante o exílio babilônico. Estudiosos modernos das Escrituras apontam para uma edição considerável das Escrituras Judaicas naquele tempo.

QUESTÃO DO TEMPLO

Tanto judeus como samaritanos acreditavam que Deus tinha uma morada única na terra. Foi lá que a glória de Deus se manifestou como fora a Moisés no monte Sinai. Eles discordaram, no entanto, sobre a localização deste lugar sagrado.

Os judeus olhavam para Jerusalém, onde Salomão havia construído seu templo antes da divisão entre os reinos do norte e do sul. O culto Samaritano era focado no Monte Gerizim, perto de Siquém (Nablus moderno), que eles afirmavam ser o santuário original, em uso desde o tempo de Josué. Este era o lugar, eles acreditam, onde Abraão foi ordenado por Deus para oferecer Isaque, seu filho, como sacrifício ( Gênesis 22: 2 ).

Quando a liderança judaica, que havia sido deportada para a Babilônia no 6º século a.C., foram autorizados a retornar, reconstruíram o templo de Jerusalém e codificaram suas Escrituras e práticas rituais. Enquanto nos séculos anteriores eram regularmente oferecidos sacrifícios em santuários associados a Abraão e outras figuras primitivas, a recém-emergente liderança judaica insistia que o templo de Jerusalém era apenas um local legítimo de sacrifício.

Na primeira metade do 5° século a.C. os samaritanos construíram um templo no Monte Gerizim e ofereceram sacrifícios lá. Este templo foi destruído em 128 a.C. pelo sumo sacerdote judeu João Hircano que capturou Samaria e ampliou o reino judeu.

Os samaritanos não estavam associados às revoltas dos judeus contra os romanos, enquanto os romanos expulsaram os judeus de Jerusalém em 135 d.C, os samaritanos foram autorizados a permanecer.

O templo Samaritano no Monte Gerizim foi reconstruído e manteve-se até o 5° século d.C., quando os Samaritanos se revoltaram contra Roma. Eles foram derrotados e barrados do monte Gerizim. Os samaritanos continuaram a se opor a Roma; eles foram reconhecidos como uma comunidade legítima sob o Islã. Enquanto eles nunca reconstruíram seu templo, eles ainda celebram a Páscoa todos os anos no "altar de Abraão", no antigo local do templo.

CRISTO E A QUESTÃO DO TEMPLO

No encontro de Jesus com a mulher samaritana, Ele tocou na questão do templo. A mulher disse: “Nossos pais adoraram nesta montanha e vocês judeus dizem que em Jerusalém é o lugar onde se deve adorar”. Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me, vem a hora em que nem nesta montanha nem em Jerusalém adorareis o Pai. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade ...” (João 4: 19-23).

Jesus rejeitou a importância de um templo físico como necessário para adorar a Deus. O relacionamento de Deus com a humanidade estava mudando. Quando Jesus estava no templo de Jerusalém, Ele fez este anúncio enigmático: 'Destrua este templo e em três dias levantarei'. Então os judeus disseram: 'Levaram quarenta e seis anos para construir este templo, e você o levantará em três dias?' ...mas ele estava falando do templo do seu corpo (João 2: 19-21)

O lugar do sacrifício não estaria em um santuário ou em um templo; seria o próprio corpo do próprio Cristo. Aqui, o único sacrifício definitivo seria oferecido para o perdão dos pecados de toda a humanidade. Enquanto o corpo terreno de Cristo seria o templo do Seu sacrifício na cruz, Seu corpo espiritual, a Igreja também compartilharia em Seu papel como o novo templo de Deus.

Uma vez que a Igreja é o Corpo de Cristo, em que o Espírito Santo habita, é um templo composto de pedras vivas, a primeira das quais é Cristo, a Cabeça do Corpo.

E assim é, como o templo do Deus vivo que somos lembrados.

"E, chegando-vos para ele, pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa, vos também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo." (1 Pedro 2: 4-5).

Aqueles que estão unidos a Cristo no batismo tornam-se este santo sacerdócio cujo sacrifício de louvor, a Divina Liturgia, cujas esmolas, cujos presentes de jejum e outras ofertas estão unidos ao próprio sacrifício de Cristo.

A comunidade de cristãos em todo o mundo é a casa espiritual construída de pedras vivas e unida à Pedra Preciosa escolhida por Deus.

Autoria: Evangelista Rodrigo Alex (Teólogo e Professor)


...em CRISTO!

Estejamos firmes na Pedra Principal, Eleita e Preciosa; e quem nela crer não será confundido.

Forte e fraterno abraço ao grande amigo em Cristo. Obrigado pela permissão desta publicação.


Aqui eu Aprendi!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...