Membros / Amigos

Conheça mais de nossas Postagens

Research - Digite uma palavra ou assunto e Pesquise aqui no Blog

quarta-feira, 4 de junho de 2014

A Igreja de ANTIOQUIA

A igreja de Antioquia

A Igreja tem sido o instrumento de Deus para a propagação mundial do evangelho. Tal como Deus formou a Israel e, no Antigo Testamento o constituiu como seu representante, assim formou a Igreja para concluir a tarefa iniciada pelos hebreus. Ela representa o corpo de Cristo – organismo vivo que Deus levantou para realizar os seus propósitos.

O Espírito Santo foi dado à Igreja e quando o seu poder opera, Jesus faz a sua obra abundante por meio dela. A Igreja primitiva, por conseguinte, estava ciente da visão missionária e universal de Deus. Apesar das perseguições, nossos primeiros irmãos obedeceram piamente ao “ide” de Jesus. E nós? O que temos realizado?

A ordem dada por Jesus aos discípulos momentos antes de sua ascensão – que fossem suas testemunhas até aos confins da terra – não estava sendo cumprida pelos crentes em Jerusalém. Apesar de contar com milhares de crentes, os quais continuavam vivendo em Jerusalém tendo tudo em comum, a Igreja primitiva ainda não havia tomado consciência de sua missão. Foi então que Deus permitiu abater sobre os discípulos a perseguição que os dispersou para várias regiões. Filipe, por exemplo, foi para Samaria. (8 vs5)
Outros discípulos testemunharam em outras cidades e muitos se converteram, tendo-se iniciado a formação do poderoso núcleo do evangelho que foi a igreja em Antioquia. Quando os apóstolos souberam da existência de discípulos em Antioquia, enviaram para lá Barnabé, incumbido de sondar a legitimidade das conversões. Tendo chegado e visto que de fato Deus concedera sua graça aos gentios, exortou os discípulos a permanecerem no Senhor e partiu em busca de Saulo, que estava, por aquele tempo, em Tarso, para engajá-lo na tarefa de estruturar a nova igreja. Então, os dois juntos se aplicaram intensamente ao ensino. 

>> Os discípulos foram despertados para a obra de beneficência (At 11.27-30).

>> Os discípulos foram, pela primeira vez, chamados cristãos (At 11.26).

>> Teve início a obra missionária; os crentes de Antioquia separaram a Paulo e Barnabé, e os enviaram na qualidade de missionários a outras terras.

Antioquia.
Gravura de William Miller.
INTRODUÇÃO
Em Antioquia da Síria estava a primeira igreja gentia e a maior igreja missionária depois de Jerusalém. Além dessas duas características, gentia e missionária, Antioquia também teve o privilégio de ter o apóstolo Paulo como seu pastor (11 v.26), tornando-se a base missionária deste apóstolo. Vejamos como esta etapa tão importante da evangelização mundial começou a se cumprir de acordo com o plano-mestre estabelecido por Nosso Senhor.

A IGREJA EM TERRITÓRIO GENTIO
1. Fugindo das perseguições.
As perseguições iniciadas em Jerusalém, depois do martírio de Estêvão, tornaram insuportável a situação dos cristãos naquela cidade. Muitos foram dispersos, não só pela Judéia e Samaria, mas para além da terra de Israel, indo para a Fenícia, Chipre, Antioquia da Síria e Cirene (11 v.19; 8.1-4). De todas essas regiões, Antioquia sobressaiu-se, tornando-se no mais importante centro missionário do primeiro século. Durante os primeiros séculos do Cristianismo ela esteve entre os cinco maiores centros cristãos da história: Antioquia, Jerusalém, Alexandria, Constantinopla e Roma.

2. A cidade de Antioquia da Síria.
Distava 500 quilômetros de Jerusalém e gozava de posição estratégica favorável para missões. Localizava-se na divisa entre os dois mundos culturais da época – o grego e o semita. Não deve ser confundida com a Antioquia da Pisídia (At 13.14).

Era a terceira cidade do Império Romano, vindo depois de Roma e Alexandria. Passou a ser a capital da província romana da Síria, em 64 a.C., quando Pompeu a conquistou.


Antioquia foi uma cidade da antiga província romana da Pisídia. Foi uma das diversas cidades que receberam o nome de Antioquia, fundadas por Seleuco I Nicator (312 - 280 a.C), em honra a seu pai, Antíoco. As ruínas dessa cidade ficam perto de Halovaque, na Turquia moderna.
Esta cidade específica tinha recebido a posição de colônia romana e era a cidade principal da área conhecida como Phrygia Galatica. É uma cidade montanhosa, erigida numa altitude de cerca de 1.200 metros.
Essa cidade, realmente, não se encontrava na Pisídia, e, sim na Frígia, mas ficava próxima da fronteira com a Pisídia. Assim sendo, veio a ser chamada Antioquia da Pisídia a fim de distinguí-la da outra Antioquia, existente na Cária. Era uma colônia e um posto militar avançado dos romanos, sendo a cidade mais importante da Galácia do Sul.
Ficava situada em uma importante rota comercial entre Éfeso e a Cilícia, e era importante centro do Helenismo. O imperador romano Augusto concedeu-lhe privilégios de colônia romana.
Embora romanizada e falando o latim, nos dias do Apóstolo Paulo, uma inscrição descoberta em Apolônia, uma cidade vizinha, datada dos séculos I ou II D.C., mostra que Antioquia da Pisídia continha algum elemento Judaico em sua população. O santuário da principal divindade de Antioquia, Nem, foi escavado entre 1910 e 1913. Vários remanescentes de estruturas romanas também têm sido desenterrados nessas pesquisas, bem como canos para distribuição de água, transportada pelo aqueduto, um tabuleiro de jogo dos romanos e uma imensa basílica Cristã (pertencente ao século IV d.c.).

Pisídia era uma região montanhosa, englobando a parte ocidental da Cordilheira dos Montes Tauro, situada ao Norte da Panfília e ao Sul da Frígia Gálata, tendo a Cária e a Lícia a Oeste, e a Licaônia a Este. 
O povo da Pisídia era selvagem e guerreiro, formando bandos tribais de assaltantes. Estes montanheses eram difíceis de ser controlados, e só lentamente foram influenciados pela cultura helênica ou romana

apóstolo Paulo passou pela Pisídia em sua primeira viagem missionária, viajando da costeira Panfília, pelas montanhas, até a Antioquia da Pisídia. (Atos 13:13, 14) Também passou pela Pisídia na viagem de regresso. (Atos 14:21, 24) Os bandidos e os turbulentos rios montanhosos dessa região bem que poderiam constituir a base para Paulo dizer que enfrentara “perigos de rios, ... perigos de salteadores de estradas”. (II Coríntios 11:26)

3. O caráter universal do evangelho.
Era cidade de população mista e boa parte desta era de judeus. Josefo afirma que muitos judeus emigraram para a região nos dias dos selêucidas e outros fugiram para lá durante as guerras dos Macabeus. Isso talvez justifique a forte presença judaica, em Antioquia, nesse período da história da Igreja. A chegada do evangelho à cidade representou muito cedo o caráter universal da mensagem cristã. A partir daí o Cristianismo saiu dos círculos judaicos para ser pregado a todos os povos, conforme determinação do Senhor Jesus (Mt 28.19,20; Mc 16.15).


OS FUNDADORES DA IGREJA DE ANTIOQUIA
1. Começou no anonimato.
Os fundadores da igreja de Antioquia eram de Chipre e de Cirene: “Os quais, entrando em Antioquia, falaram aos gregos, anunciando o Senhor Jesus” (11 v.20). Até então o evangelho era pregado só aos judeus (v.19). Talvez a experiência de Pedro na casa de Cornélio tivesse chegado ao conhecimento deles, e começaram a pregar também aos gentios (v.20). O resultado foi extraordinário! Esses gregos creram no Senhor Jesus e o número deles crescia a cada dia (v.21). Nascia a igreja dos gentios. A ordem profética “até aos confins da terra”, de Jesus, caminhava rapidamente para o seu cumprimento (At 1.8).

2. Barnabé e Lúcio.
As notícias foram recebidas com alegria pela igreja de Jerusalém. Curioso é que Barnabé era de Chipre (At 4.36) e Lúcio, um dos doutores da igreja de Antioquia, era de Cirene (At 13.1). Será que a iniciativa de se pregar aos gentios partiu deles? Quem seriam pois esses missionários? Muitos de nossos pioneiros ficaram no anonimato. Há grandes trabalhos que foram iniciados por pessoas anônimas, mas Deus conhece cada uma delas. Tais pessoas terão o seu galardão, e serão conhecidas e reconhecidas por toda a eternidade.


ESTRUTURANDO UMA IGREJA EM CRESCIMENTO
1. Enviado para ensinar.
Barnabé foi enviado pela igreja de Jerusalém para ensinar aos gentios de Antioquia (11 v.26). Entendeu muito cedo o caráter universal do evangelho de Jesus. Ele e Saulo foram os primeiros pastores de Antioquia, e no exercício de seu ministério ultrapassaram as barreiras culturais. O Cristianismo é transcultural; a igreja de Jerusalém enviou o homem certo para Antioquia. Por ser cipriota, talvez tivesse mais jeito de lidar com os gentios (v.22). Esse é um exemplo de missionário enviado para ensinar numa igreja já constituída.

2. O convite feito a Saulo.
Barnabé foi o primeiro que entendeu a nova realidade. Vendo que os costumes dos gentios eram muito diferentes das tradições judaicas e que aqueles irmãos estavam alegres e eram fervorosos no espírito, mas provenientes de outra cultura, lembrou-se de Saulo, pois sabia que o Senhor Jesus o havia chamado para pregar e ensinar aos gentios. Saulo era de Tarso, grande centro cultural da época, e conhecia a cultura grega. Ninguém melhor do que Saulo para ensinar a esses novos crentes de costumes estranhos. Barnabé não hesitou em buscá-lo em Tarso para essa nobre tarefa (v.25). Antioquia conquistou essa importância na história do Cristianismo graças a estrutura bem organizada por Barnabé e Saulo.


Fonte:
Bíblia de Estudo Pentecostal, Bíblia Defasa da Fé; Revista Ensinador Cristão - nº 45
Lições Bíblicas 1º Trimestre 2011-CPAD, Atos dos Apóstolos – Até aos confins da terra;
Atos - O padrão para a Igreja da Última Hora - Pr.Ezequias Soares - 3º Trimestre de 1996-Lição 13; William Macdonald – Comentário Bíblico popular (Novo Testamento)
John Stott – A mensagem de ATOS (Até os confins da Terra)
Jovens e Adultos - Lições do 3º Trimestre trimestre de 2000
Aqui eu Aprendi!

Um comentário:

  1. Muito boa a exposição a igreja de Antioquia, costumo chamá-la de "Primeira Igreja Evangélica Missionária de Antioquia".

    Deus abençoe

    ResponderExcluir

O comentário será postado assim que o autor der a aprovação.

Respeitando a liberdade de expressão e a valorização de quem expressa o seu pensamento, todas as participações no espaço reservado aos comentários deverão conter a identificação do autor do comentário.

Não serão liberados comentários, mesmo identificados, que contenham palavrões, calunias, digitações ofensivas e pejorativas, com falsidade ideológica e os que agridam a privacidade familiar.

Comentários anônimos:
Embora haja a aceitação de digitação do comentário anônimo, isso não significa que será publicado.
O administrador do blog prioriza os comentários identificados.
Os comentários anônimos passarão por criteriosa analise e, poderão ou não serem publicados.

Comentários suspeitos e/ou "spam" serão excluídos automaticamente.

Obrigado!
" Aqui eu Aprendi! "

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...