Membros / Amigos

Conheça mais de nossas Postagens

Research - Digite uma palavra ou assunto e Pesquise aqui no Blog

Carregando...

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Ataques verbais! Como nos defender?

Como se defender de ataques verbais? 
por Ciro Sanches Zibordi 

Li, há pouco tempo, o livro Como se Defender de Ataques Verbais, de Barbara Berckhan (Sextante). A obra é muito boa. Mas, há milhares de anos, um rei de Israel chamado Salomão antecipou os principais conselhos da autora, como este: “A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira” (Pv 15.1).

Em Provérbios 26.4,5 há uma aparente contradição sobre como responder aos ataques verbais: “Não respondas ao tolo segundo a sua estultícia, para que também te não faças semelhante a ele. Responde ao tolo segundo a sua estultícia, para que não seja sábio aos seus olhos”. Para entender o que Salomão quis dizer com esse jogo de palavras, não devemos isolar as suas frases; temos de examinar o contexto.

No versículo 4 somos ensinados a não responder ao tolo da mesma maneira que ele, como que se colocando no mesmo nível. Isso se coaduna com o que está escrito em 1 Pedro 3.15: “estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós”. Ou seja, se alguém for zombeteiro e maldizente, não devemos responder-lhe com zombaria ou xingamentos.

Se não existe contradição na passagem em análise, como entender o versículo 5, que parece contrariar o conselho contido no versículo 4? Tendo em mente a instrução de não responder ao tolo segundo a sua estultícia — isto é, de modo contencioso, escarnecedor, irascível, etc. —, leiamos o versículo 5 na versão espanhola de Casiodoro de Reina: “Responde al necio como merece su necedad, para que no se estime sabio en su propia opinión”.

O melhor exemplo para nos ajudar a entender a passagem em apreço é o diálogo entre Jesus e a mulher de Samaria, registrado em João 4. Quando ela parecia irritada com a abordagem do Senhor, que lhe pedira água, agrediu-o com palavras. Ele podia ter virado as costas para ela. O que fez o Senhor Jesus? Ele não lhe respondeu segundo a sua tolice; não se igualou a ela, empregando o mesmo tom provocativo. Por outro lado, paradoxalmente, lhe respondeu segundo — ou como merecia — a sua insensatez.

Fico pensando: Como nós responderíamos a essa pergunta: “Como sendo tu judeu, me pedes de beber a mim, que sou samaritana?” É possível que alguns de nós dissessem àquela mulher samaritana: “OK. Então fique com a sua opinião, que eu fico com a minha, sua ignorante”. Mas o Mestre deu à mulher a resposta que ela merecia: “Se tu conheceras o dom de Deus, e quem é que te diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva”.

Lembremo-nos de que as armas da nossa milícia não são carnais (2 Co 10.4). Temos várias armas de defesa: o capacete da salvação, a couraça da justiça, os calçados da preparação do Evangelho da paz, o escudo da fé e o cinto da verdade. E a nossa única arma de ataque é a espada do Espírito, a Palavra de Deus (Ef 6.10-18).

Como devemos responder ao néscio? Se ele falar o que quiser, sem que as suas ideias errôneas sejam refutadas, pensará que é sábio. Por isso, devemos lhe responder, mas sem descer ao nível dele. A nossa argumentação com os tolos dever ser amigável, amistosa, sem contender (2 Tm 2.24-26), pois o que ele mais deseja é que nos irritemos com as suas provocações. Sejamos sábios, “remindo o tempo, porque os dias são maus” (Ef 5.16).


Fonte: Blog do Ciro - http://cirozibordi.blogspot.com.br/ 

Aqui eu Aprendi!

sábado, 28 de junho de 2014

Xiitas x Sunitas - Islamismo

Profeta Maomé recitando o Alcorão em Meca
(gravura do século XV).
Xiitas  vs  Sunitas

Em um artigo anterior conhecemos um pouco sobre o Islamismo (click aqui para ler o artigo), agora, com a esta postagem, vamos conhecer um pouco sobre a ramificação dessa religião, uma das mais importantes religiões existentes no mundo.


Você conhece este nome:
Abū al-Qāsim Muḥammad ibn ʿAbd Allāh ibn ʿAbd al-Muṭṭalib ibn Hāshim. 
Este nome é conhecido "popularmente" como Maomé.
Para os muçulmanos, Maomé foi precedido em seu papel de profeta por JesusMoisésDaviJacobIsaacIsmael e Abraão. Como figura política, ele unificou várias tribos árabes, o que permitiu as conquistas árabes daquilo que viria a ser um império islâmico que se estendeu da Pérsia até à Península IbéricaO nome completo de Maomé em árabe pode ser transliterado como Abu al-Qasim Muhammad ibn 'Abd Allah ibn 'Abd al-Muttalib ibn Hashim, sendo que Muhammad significa "louvável" e seu nome completo, inclui o nome "Abd Allah", que significa "servo de Deus". Este nome já era comum na Arábia antes do surgimento do islão, não sendo por isso necessário ver nele um epíteto criado pelo próprio. 
  • Maomé é uma forma aportuguesada do francês Mahomet, que por sua vez é uma deformação do turco Mehmet, tendo daí derivado os adjetivos portugueses maometano e maometismo para designar, respectivamente, o seguidor e a crença difundida por ele.


Judeus / Árabes / Muçulmanos

Os judeus são descendentes de Isaque, filho de Abraão. Os árabes são descendentes de Ismael, também filho de Abraão. Sendo Ismael filho de uma mulher escrava (Gênesis 16:1-6) e Isaque sendo o filho prometido que herdaria as promessas feitas a Abraão (Gênesis 21:1-3), obviamente haveria alguma animosidade entre os dois filhos. Como resultado das provocações de Ismael contra Isaque (Gênesis 21:9), Sara disse para Abraão mandar embora Agar e Ismael (Gênesis 21:11-21). Isto causou no coração de Ismael ainda mais contenda contra Isaque. Um anjo até profetizou a Agar que Ismael viveria em hostilidade contra todos os seus irmãos (Gênesis 16:11-12).


A religião do Islã, à qual a maioria dos árabes é aderente, tornou essa hostilidade mais profunda. O Alcorão contém instruções de certa forma contraditórias para os muçulmanos em relação aos judeus. Em certo ponto, ele instrui os muçulmanos a tratar os judeus como irmãos, mas em outro ponto, ordena que os muçulmanos ataquem os judeus que se recusam a se converter ao Islã. O Alcorão também introduz um conflito sobre o qual filho de Abraão era realmente o filho da promessa. As Escrituras hebraicas dizem que era Isaque. O Alcorão diz que era Ismael. O Alcorão ensina que foi Ismael a quem Abraão quase sacrificou ao Senhor, não Isaque (em contradição a Gênesis capítulo 22). Este debate sobre quem era o filho da promessa contribui para a hostilidade de hoje em dia.


O CORÃO (ou ALCORÃO) 
Significa Recitação.
114 capítulos. Baseado no Torá (ou Talmud, Judeu) e na Bíblia (Cristã). Orienta fiéis como se relacionar uns com os outros, como rezar, como se vestirem, o que comer (e não comer), como adorar, como guerrear, como expandir a fé. Salvação apenas para os seguidores de Alá. Ressurreição no juízo final. Outras religiões terão lago de fogo.

Os cinco pilares do Islã
  • Professar a Fé (Shahada);
  • Orar cinco vezes ao dia (Salat);
  • Fazer Caridade (Zakat);
  • Jejuar (Saum ou Siyam)
  • Peregrinação a Meca (Haj),

As ramificações 
Após a morte de Maomé, a religião islâmica sofreu ramificações, ocorrendo divisão em diversas vertentes com características distintas. As vertentes do Islamismo que possuem maior quantidade de seguidores são a dos sunitas (maioria) e a dos xiitas.

Vista como umas das mais significativas divisões do mundo islâmico, xiitas e sunitas aparecem em diversos noticiários sem uma devida explicação que possa esclarecer as dúvidas do grande público.

Neste artigo, estaremos conhecendo essa divisão considerada de suma importância para que seja possível entender a história de uma das mais importantes religiões existentes no mundo.

Por volta do século VIII, a expansão do islamismo por diversas partes do mundo determinou a origem da divisão que hoje estabelece a diferença entre xiitas e sunitas. Tudo isso se iniciou no ano de 632, quando a morte do profeta Muhammad (Maomé) abriu espaço para uma disputa sobre quem poderia ocupar a posição de principal líder político de toda a comunidade islâmica existente.

Ali, genro de Muhammad, reivindicava a sucessão por ser ele casado com Fátima, a única filha viva do profeta na época, e ter dois netos como descendentes diretos do profeta. Contudo, a maioria dos muçulmanos não concordava com essa ideia ao perceber que Ali era muito jovem e inexperiente para ocupar tamanha posição. Foi então que Abu Bakr, amigo do profeta, acabou sendo escolhido como sucessor pela maioria dos muçulmanos.

Após a vigência de Abu como califa, dois outros líderes foram aclamados como chefes supremos dos muçulmanos. Foi então que, em 656, após o assassinato do califa Uhtman, Ali conseguiu governar por um breve período. Nesse tempo, a forte oposição da tribo dos omíadas acabou estabelecendo a independência dos califados de Medina e Damasco. Pouco tempo depois, o próprio Ali acabou sendo morto por um grupo de partidários que não aceitava sua postura conciliatória.

Mesmo com essa dissidência, os partidários de Ali – conhecidos como “Shiat Ali” – prosseguiram lutando e questionando a legitimidade política dos califados que não se sujeitavam à autoridade dos descendentes diretos de Muhammad (Maomé).

Conhecidos mais tarde como “xiitas”, eles acreditam que os líderes oriundos da linhagem do Profeta são líderes aprovados por Alá e, por essa razão, teriam a capacidade de tomar as decisões políticas mais sensatas.


Por outro lado, os "sunitas" – assim designados por também aderirem a Sunna, livro biográfico de Muhammad – têm uma ação política e religiosa mais conciliatória e pragmática. Preocupados com questões que extrapolam o campo da religiosidade, os sunitas empreendem uma interpretação mais flexível dos textos sagrados, estabelecendo assim um maior diálogo com outros povos e adaptando suas crenças com o passar do tempo.

Numericamente, os sunitas hoje representam mais de noventa por cento da população muçulmana espalhada pelo mundo. Na condição de minoria, os xiitas acreditam que sua vida ascética e a adoção de princípios mais rígidos garantiriam o retorno de Mahdi, o último descendente direto, que seria responsável pelo retorno de um governo mais justo e próspero. Já os sunitas acreditam que os livros sagrados (Alcorão e Suna) e a discussão entre os irmãos sejam suficientes para a promoção de um bom governo.


XIITAS E SUNITAS
- Xiitas - Seguidores de Ali (tio de Maomé).
Autoridade passada a Ali. Fiéis são independentes – São os mais radicais, guiados por Alá.

- Sunitas - Seguem os Califas, sendo dependentes deles para suas decisões.
Líderes (califas) são escolhidos pelo povo – São os menos radicais, dependentes dos líderes.


Alguns pontos em comum entre Xiitas e Sunitas são:
- a individualidade de Deus, a crença nas revelações de Maomé e a crença na ressurreição do profeta no Dia do Julgamento.

Calendário Islâmico / Datas comemorativas:
12 do mês de Rabi al-Awwal (5º Mês) – Nascimento de Maomé 27 de Rajab (7º Mês) – Noite da Ascensão 26 para 27 de Ramadã (9º Mês) – Noite do Poder (primeira sura) Fim do Ramadã – Jejum (9º Mês) Fim do Dhu al-Hija – Peregrinação (12º Mês) 10º dia de Muharram (1º mês) – Morte de Hussein

No Brasil
No Brasil, o Islamismo chegou, primeiramente, através dos escravos africanos trazidos ao país. Posteriormente, ocorreu um grande fluxo migratório de árabes para o território brasileiro, contribuindo para a expansão da religião. A primeira mesquita islâmica no Brasil foi fundada em 1929, em São Paulo. Atualmente existem aproximadamente 27,3 mil muçulmanos no Brasil.


Curiosidades

Pérsia = Irã - capital Teerã
(Em 1935 o governo especificou que o país deveria ser chamado Irã),
Os Persas tinham um exército tão poderoso que era conhecido pelos gregos como "Imortais".
Os Persas eram conhecidos também por usarem elefantes em batalha. 



Presidentes do Irã

O Presidente do Irã é eleito por sufrágio universal para um mandato de quatro anos, podendo ser reeleito apenas uma vez. Segundo a Constituição, o Presidente deve ser um homem de origem e nacionalidade iraniana, devendo possuir capacidades de liderança e ser um muçulmano xiita.

Mais um pouquinho: Curiosidades

Mesopotâmia = Iraque - capital Bagdá
(Terra entre dois rios) - planalto de origem vulcânica localizado no Oriente Médio, delimitado entre os vales dos rios Tigre e Eufrates
A religião mais professada por mais de 95% da população é a islâmica. A maioria dos muçulmanos são do grupo xiitas (60% da população), concentrados no sul do país. No centro, predominam os sunitas, que são a segunda vertente da religião islâmica (os sunitas totalizam 20% da população).

Constantinopla = Istambul na Turquia 
O nome da cidade é uma referência ao imperador romano Constantino I
Etimologicamente o nome Istambul é derivado de uma expressão grega medieval que significa "na cidade", "à cidade" ou "centro da cidade".


Península de Anatólia (Império Otomano) = Turquia - capital Ancara
O nome Turquia derivou de Türk que, nas antigas línguas turcomanas, significava "ser humano" ou "forte". Outra versão alega que Turquia originou de turquesa, pedra preciosa comum no país.


A lua e a estrela
Simbolo do Islamismo
- O simbolo da lua crescente junto com a estrela esteve originalmente associado com a adoração da lua em Bizâncio (Constantinopla). Quando o Turcos Otomanos conquistaram aquele Império, utilizaram o simbolo como marca da vitória.
- Alguns fiéis creem que as pontas da estrela estão ligadas aos 5 pilares da religião.


Fonte: BrasilEscola.com
por Wagner de Cerqueira e Francisco - Graduado em Geografia
por Rainer Sousa - Mestre em História - Equipe Brasil Escola
Wikipédia , Revista super-abril, Islamismo no Brasil, Dicionário Bíblico Nova Vida

Aqui eu Aprendi!

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Quem era TIAGO

Jesus teve irmãos? sim!

Jesus teve Família? sim!

Quem era Tiago, o Menor?
Era Filho de José e Maria; irmão "carnal" de Jesus
(e Presidente do Concílio de Jerusalém)

Em primeiro lugar, é preciso destacar o fato de que há, em o Novo Testamento, a menção de quatro pessoas com o nome de Tiago: 
  • Tiago, irmão de Judas, não o Iscariotes, (Lc 6.16); 
  • Tiago, filho de Zebedeu e irmão de João (Mt 4.21; 10.2; Mc 1.19, 10.35; Lc 5.10; 6.14; At. 1.13; 12.2); 
  • Tiago, filho de Alfeu, um dos doze discípulos (Mt 10.3; Mc 3.18; Lc 6.15; At 1.13),  mas que, provavelmente tenha sido irmão de Mateus, já que em Marcos 2.14 Mateus, que também era chamado de Levi, era filho de Alfeu; e
  • Tiago, o autor da epístola, que era filho de José e Maria (Mt 13.55; Mc 6.3)
Em tempo: Paulo destaca Tiago, irmão do Senhor, como apóstolo (Gl 1.19), um homem que era considerado um dos pilares da igreja.

TIAGO, O MENOR
Há um interessante texto do Presbítero Sandoval Juliano que nos revela:
A Igreja Católica tem sido insistente em ensinar que o autor da Epístola que leva o nome de "Tiago" é o Tiago filho de Alfeu e, segundo ela, esse Tiago era primo de Jesus. Não é verdade e os teólogos católicos sabem disto. Afirmam que era primo porque querem sustentar o falso dogma da eterna virgindade de Maria.

Jesus teve 04 irmãos e algumas irmãs. Dentre eles havia um chamado Tiago e que foi apelidado de "Tiago, o menor" - compare Mt 13:55, com Mt 27:56. Este era chamado de "o menor" por ser mais novo que o outro Tiago, o filho de Zebedeu e irmão de João. Este, sim, era primo de Jesus, uma vez que Salomé, sua mãe, era irmã de Maria, mãe de Jesus - Compare Jo 19:25, com Mc 15:40.

O que sabemos sobre o Tiago, irmão de Jesus:
TIAGO, IRMÃO DE JESUS - Existem várias referências bíblicas que afirmam que Jesus teve um irmão carnal chamado Tiago. Leia as seguintes: Mt 13:55; Mc 6:3; Gl 1:19.
Existem outros textos bíblicos que distinguem os irmãos de Jesus dos discípulos - Jo 2:12 ; Jo 7:5; At 1:14.

"Depois disto desceu a Cafarnaum, ele (Jesus), e sua mãe, e seus irmãos, e seus discípulos; e ficaram ali não muitos dias."  João 2:12

Eusébio de Cesaréia, que viveu entre 265 e 339 d. C. e que foi considerado o Pai da História da Igreja Primitiva, faz referência a ele como "Tiago, o Justo, irmão de Jesus, o chefe da igreja cristã primitiva em Jerusalém"Em Atos dos Apóstolos Tiago aparece como sendo um dos principais líderes da Igreja em Jerusalém - At 15:13. Paulo reconhece essa liderança de Tiago - Gl 2:9. Nesta época o Tiago, filho de Zebedeu já havia morrido.

Flávio Josefo em sua obra "Antiguidades Judaicas", narra que um certo Tiago tomou para si o encargo de dirigir a Igreja de  Jerusalém após a partida de Pedro e que participou ativamente do primeiro Concílio da Igreja (confirmando Atos 15), que tratava da questão da circuncisão e da pregação do Evangelho para os gentios, evento este que teria ocorrido por volta de 54 d.C.. De fato, tal tradição é reconhecida e confirmada por Eusébio de Cesaréia, que narra ter sido este apóstolo o líder da comunidade cristã daquele local por cerca de dezoito anos .

No seu Livro Vigésimo, capítulo 8, Flávio Josefo fala do evento da morte de Tiago com as seguintes palavras: "Anano, grão-sacrificador (Sumo-sacerdote)... aproveitou o tempo da morte de Festo, e Albino ainda não tinha chegado, para reunir um conselho, diante do qual fez comparecer Tiago, irmão de Jesus, chamado Cristo..."

Temos, portanto, referências bíblicas e referências históricas que confirmam que Tiago era, irmão de sangue, de Jesus Cristo.

Bem, a Igreja Católica ensina que na tradução para o Português utilizaram a palavra "irmão" em substituição à palavra "primo". É outra mentira que temos como refutar tranquilamente. 

No site www.cacp.org.br/catolicismo/ encontramos o seguinte comentário sobre este assunto: "Em Mt 12:47, na Bíblia católica, versão dos “Monges Maredsous”, o tradutor teceu o seguinte comentário sobre os “irmãos” de Jesus no rodapé da página: “Irmãos: na língua hebraica esta palavra pode significar também ‘parentes próximos’ ou ‘primos’, como neste caso. Exemplo: Abraão, tio de Ló, chama-o com a designação de irmão - Gn 11:27; Gn 13:8.”

Outro estudioso católico afirma: “Assim sendo, é possível que por detrás dos ‘irmãos’ e ‘irmãs’ de Jesus estejam seus ‘primos’ ou ‘parentes’.

Refutação bíblica: Não existe um só caso na Bíblia, e principalmente no Novo Testamento, em que a palavra grega adelphós (irmão) é traduzida por primo ou parente.


O Apóstolo Paulo sabia perfeitamente usar a palavra correta para primo (anepsiós) e parente (sungenes) em suas epístolas. Não havia motivo de confusão! 
“Saúda-vos Aris­tarco, meu companheiro de prisão, e Marcos, o sobrinho de Barnabé...” - Cl 4:10. -  “Saudai a Herodião, meu parente” - Rm 16:11.

Caso a tese católica estivesse correta, o apóstolo poderia muito bem ter usado a expressão hoi anepsiós Kyriou (primos do Senhor), e não adelphói tou Kyriou (irmãos do Senhor), até porque os irmãos de Jesus estavam vivos quando o apóstolo escreveu as duas epístolas. Argumentos ­contraproducentes

Diante do exposto, a única consideração plausível a que podemos chegar é que os “irmãos” de Jesus eram realmente seus irmãos legítimos. É justamente esse o sentido do termo adelphós no Novo Testamento. 


O escritor do site acima citado ainda nos lembra outro detalhe importante: "Outro fator que corrobora com a interpretação acima é o fato de Lucas ter usado a expressão grega Prototokos, que significa “Primogênito”, em relação ao nascimento de Cristo: “e teve a seu filho primogênito...” - Lc 2:7 

Se Lucas quisesse dizer que Jesus foi o único filho de Maria, teria usado, de modo inequívoco, a expressão monogenes (unigênito, em português) que significa “[filho] único gerado”, como acontece em Jo 3:16. Mas não, ele usou, de modo consciente, o termo certo: “primogênito”, indicando que Jesus foi apenas o “primeiro” filho de Maria, e não o “único”. 

Se Jesus tivesse sido o único filho de Maria, os evangelistas mostrariam isso, de modo explícito, em seus escritos. Mas não é isso que constatamos no Novo Testamento".

Portanto, Tiago o autor da "Epístola de Tiago" é o irmão de Jesus. Ou seja, Maria não permaneceu virgem, como os católicos querem nos empurrar goela a baixo. Ela teve a Jesus e a mais 4 filhos. (Em Cristo, Ev. Sandoval Juliano).


Diante do exposto, a única consideração plausível a que podemos chegar é que os “irmãos” de Jesus eram realmente seus irmãos legítimos. É justamente esse o sentido do termo adelphós no Novo Testamento. Apesar de todo o esforço empregado pelos católicos para defender a virgindade perpétua de Maria, seus argumentos são totalmente contraproducentes. 
O Salmo 69 é um texto profético com força suficiente para desmantelar o arcabouço erigido pelas artimanhas teológicas católicas. Qualquer exegeta que ler esse salmo terá de admitir que se trata de um salmo messiânico, ou seja, um salmo que fala sobre o ministério e a vida de Jesus, o Messias. No verso 8, o autor descreve perfeitamente a família de Jesus sem deixar dúvidas quanto à legitimidade carnal de parentesco entre eles. Vejamos: “Tornei-me como um estranho para os meus irmãos, e um desconhecido para os filhos de minha mãe”.

Quando, então, comparado com alguns textos do Novo Testamento, João 7.3-8 por exemplo, o Salmo 69 torna-se um argumento esmagador contra a teoria católica. “Disseram-lhe, então, seus irmãos: Retira-te daqui e vai para a Judéia, para que também os teus discípulos vejam as obras que fazes. Porque ninguém faz coisa alguma em oculto, quando procura ser conhecido. Já que fazes estas coisas, manifesta-te ao mundo. Pois nem seus irmãos criam nele. Disse-lhes, então, Jesus: Ainda não é chegado o meu tempo; mas o vosso tempo sempre está presente. O mundo não vos pode odiar; mas ele me odeia a mim, porquanto dele testifico que as suas obras são más. Subi vós à festa; eu não subo ainda a esta festa, porque ainda não é chegado o meu tempo”.

Fontes consultadas:
www.cacp.org.br/catolicismo/  www.cacp.org.br/jesus-teve-irmaos/ 
ICP - Instituto Cristão de Pesquisa-por Paulo Cristiano - Jesus teve irmãos
Livro "História dos Hebreus" - de Flávio Josefo
"Manual Bíblico" - de H. H. Halley
História Eclesiástica. Eusébio de Cesaréia - CPAD
Manual popular de dúvidas, enigmas e ­“contradições” da ­Bíblia. Norman Geisler & Thomas Howe. Mundo Cristão.
Aqui eu Aprendi!

domingo, 22 de junho de 2014

Namoro Cristão - Por que esperar?

Namoro Cristão - Conselhos para fugir da fornicação

"Pois vós sabeis que preceitos vos temos dado pelo Senhor Jesus. Porque esta é a vontade de Deus, a saber, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição, que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santidade e honra, não na paixão da concupiscência, como os gentios que não conhecem a Deus;" I Tessalonicenses 4. 2 ao 5

"Mas a prostituição, e toda sorte de impureza ou cobiça, nem sequer se nomeie entre vós, como convém a santos,"  Efésios 5. 3

Tenho recebido algumas perguntas, alguns questionamentos quanto ao relacionamento "sexo" (relacionamento intimo) antes do casamento (fornicação) e, para ajudar nos "imensos" pensamentos e duvidas, venho compartilhar um texto muito sábio. Espero que ajude a muitos e responda a tantas duvidas que, na verdade não são duvidas, são desejos que precisam, necessitam ser controlados.

Conselhos para um casal de namorados
postado por Pastora Regiane
escrito por Pastor Ismael R.

Por que esperar? 
Muitas pessoas boas cometem o erro de avançar o sinal antes do casamento. Apesar de a Bíblia ser clara sobre o assunto da relação sexual antes do casamento (fornicação), Deus é misericordioso e paciente e nos ama incondicionalmente.

Posso também entender como o impulso sexual de duas pessoas saudáveis e que se amam pode provocar um intenso desejo para a união sexual. Entretanto, estou ainda mais convencido de que o desejo de Deus é que as pessoas evitem a relação sexual antes do casamento, e que obedecer a suas instruções no que se refere ao assunto é o melhor para o relacionamento.

Abaixo vai algumas perguntas e indagações para que vocês dois (homem e mulher) discutam juntos, e elas ajudarão a meditar e chegar a uma decisão cuidadosa quanto a esperar ou não.

Tenham em mente que o texto abordado pelo autor leva em questão que o homem e a mulher (os namorados) são considerados como cristãos desejosos de crescer verdadeiramente na fé cristã.

"perguntas" / "respostas-pense e responda um para o outro"

1- Para algum de vocês, o significado da relação sexual no casamento será diminuído por ela já ter ocorrido antes de se casarem? Se a resposta for sim, o relacionamento será prejudicado por amargura e ressentimentos.

2- Suas consciências os tem incomodado durante ou depois do ato sexual ou mesmo do “quase lá”? Vocês acham que poderia ser o Espírito Santo desafiando-os?

3- Ambos estão comprometidos um com o outro? Verdadeiramente?

4- Vocês estão convencidos de que um é a pessoa certa para o outro, como companheiros para o resto da vida?

5- O que vocês acham que a Bíblia tem a dizer sobre a relação sexual antes do casamento? Aqui estão alguns versículos que devem ser examinados. At.15:20; I Co 6:13, 18-20; Ef 5:3; 1Ts 4:1-8 e 1Pe 2:11.

6- Ambos parecem desejar o melhor de Deus para suas vidas. A relação sexual afetará o serviço a Deus e sua comunhão com ele?

7- A relação sexual causará danos de alguma forma ao seu inter-relacionamento?

8- Ela poderá prejudicar a comunicação entre ambos e mesmo provocar a perda da confiança?

9- A relação sexual ajudará, impedirá ou não afetará o relacionamento espiritual entre vocês?

10- Vocês pensaram na possibilidade de uma gravidez e em como fazer para que isso não aconteça?

11- Que razões os levariam a um ato sexual? Elas são puras?

Afirmo que até dar respostas a vocês não é difícil, o difícil será vocês praticarem o que é certo, mas também penso que Deus ainda tem seus heróis entre os jovens.

Segundo o excelente livro “Sexo, amor e paixão: como realmente saber?”, de Ray Short, no capítulo “Ser ou não virgem”, o autor escreve que a ciência constatou nove fatos relacionados ao provável efeito sobre o seu relacionamento conjugal, do sexo praticado antes do casamento:

Fato 1: O sexo antes do casamento tende a separar os casais,

Fato 2: muitos homens não gostam de se casar com mulheres que tenham tido relações com outra pessoa,

Fato 3: As pessoas que praticam sexo antes do casamento tendem as ser menos felizes no relacionamento conjugal.

Fato 4: As pessoas que praticam sexo antes do casamento estão mais propensas ao divórcio.

Fato 5: As pessoas e os casais que tenham tido relacionamento sexual antes do casamento possuem maior inclinação a manter casos extraconjugais.

Fato 6: A experiência pré-conjugal pode iludí-lo e levá-lo a casar-se com uma pessoa que não é a certa para você.

Fato 7: As pessoas e os casais que mantêm uma relação íntima pré-conjugal parecem alcançar a satisfação sexual mais cedo, após o casamento. Entretanto:

Fato 8: No decorrer de seu relacionamento conjugal, provavelmente se sentirão menos satisfeitos com sua vida sexual, entendida num sentido mais amplo.

Fato 9: Hábitos sexuais insatisfatórios antes do casamento podem acarretar, mais tarde, a deterioração do relacionamento sexual entre os cônjuges.

Mais uma coisa, mesmo que vocês não tenham dúvidas neste instante, que vocês foram feitos um para o outro e não tenham dúvidas de que um dia vão se casar e naturalmente não querem pensar de outra forma, deixe-me fazer o papel do diabo (acusador): Larry Richards diz: “Um estudo mostra que os garotos acreditam haver encontrado o seu amor verdadeiro pelo menos cinco vezes na fase que compreende o período entre o ginásio e o segundo ano da faculdade” Deus nos dotou de uma sexualidade e depois Ele disse não. Será que ele é masoquista? Gosta de ver a gente sofrer?

Não, mil vezes não. Deus quando diz não Ele tem os seus motivos, e esses motivos são sempre no sentido de Proteção e Provisão, veja:

- Proteção contra a gravidez indesejada e provisão de gravidez desejada e saudável,

- Proteção contra a infelicidade no casamento por causa da desconfiança, e provisão de um casamento onde os dois confiam plenamente um no outro;

- Proteção contra o casamento precipitado onde a chance de separação aumenta muito e provisão para um casamento no momento certo, com uma estrutura mínima necessária para ser um sucesso.

- Proteção contra as doenças sexualmente transmissíveis, e provisão de uma vida com saúde.

- Proteção contra o aborto, e provisão de filhos bem vindos e benditos.

- Proteção contra o prejuízo espiritual oriundo da desobediência, e provisão de crescimento espiritual pela obediência.

O relacionamento amoroso deve trazer pelo menos quatro coisas boas:
- Crescimento espiritual
- Saúde emocional
- Saúde física (isento de doenças sexuais)
- Promoção pessoal enquanto ser humano.

E de tudo isso, que falamos, fuja das situações de perigo e lembre-se passar muito tempo perto do abismo, pode colocá-los lá no fundo um dia.

Procure fazer as coisas sempre em grupo e fuja das oportunidades, porque de outra forma vocês serão vencidos e poderá haver muita tristeza e acusações.

Seja um vencedor, um herói de Cristo, e não um palhaço do diabo como foi Sansão.

Lembre-se, que algumas coisas de nossa vida, serão motivo de alegria ou de tristeza para o resto de nossas vidas. Escolha bem.

Fonte: Estudos Cristãos

QUEM AMA RESPEITA!
                                            QUEM AMA ESPERA!

"...Mas o corpo não é para a prostituição, mas para o Senhor, e o Senhor para o corpo. Fugi da prostituição. Qualquer outro pecado que o homem comete, é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo. Porque fostes comprados por preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo." I Coríntios 6 13, 18-20

"Amados, exorto-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências da carne, as quais combatem contra a alma;" I Pedro 2 11

Aqui eu Aprendi!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...