Membros / Amigos

Conheça mais de nossas Postagens

Research - Digite uma palavra ou assunto e Pesquise aqui no Blog

Carregando...

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Do outro lado da janela

...Aproveitemos todas as oportunidades que a vida oferece!

"E não nos cansemos de fazer o bem, pois no tempo próprio colheremos, se não desanimarmos." Gálatas 6.9

Recebi esta mensagem de um grande amigo em Cristo (Tony Oliveira de Belo Horizonte - Minas Gerais). Espero, sinceramente, que este texto possa trazer até você, amigo leitor, uma grande oportunidade de poder abrir a janela para o seu próximo, mesmo que a sua (janela) momentaneamente esteja fechada!

Tudo o que fizerem, seja em palavra seja em ação, façam-no em nome do Senhor Jesus, dando por meio dEle graças a Deus Pai. (Colossenses 3.17)

REFLEXÃO
Dois homens, ambos gravemente doentes, estavam no mesmo quarto de hospital.

Um deles, podia sentar-se na sua cama durante uma hora, todas as tardes, para que os fluidos circulassem nos seus pulmões. A sua cama estava junto da única janela do quarto.

O outro homem tinha de ficar sempre deitado de costas.

Os homens conversavam horas a fio.

Falavam das suas mulheres e famílias, das suas casas, dos seus empregos, onde tinham passado as férias... 

E todas as tardes, quando o homem da cama perto da janela se sentava, ele passava o tempo a descrever ao seu companheiro de quarto todas as coisas que ele conseguia ver do lado de fora da janela.



O homem da cama do lado começou a viver à espera desses períodos de uma hora, em que o seu mundo era alargado e animado por toda a atividade e cor do mundo do lado de fora da janela.



"A janela dava para um parque com um lindo lago. Patos e cisnes chapinhavam na água enquanto as crianças brincavam com os seus barquinhos.
Jovens namorados caminhavam de braços dados por entre as flores de todas as cores do arco-íris.
Árvores velhas e enormes acariciavam a paisagem, e uma tênue vista da silhueta da cidade podia ser vista no horizonte..."

Enquanto o homem da cama perto da janela descrevia isto tudo com extraordinário pormenor, o homem no outro lado do quarto fechava os seus olhos e imaginava a pitoresca cena.

Um dia, o homem perto da janela descreveu um desfile que ia a passar. Embora o outro homem não conseguisse ouvir a banda, ele conseguia vê-la e ouvi-la na sua mente, enquanto o outro senhor a retratava através de palavras bastante descritivas.

Dias e semanas passaram. Uma manhã, a enfermeira chegou ao quarto trazendo água para os seus banhos, e encontrou o corpo sem vida do homem perto da janela, que tinha falecido calmamente enquanto dormia. Ela ficou muito triste e chamou os funcionários do hospital para que levassem o corpo.

Logo que lhe pareceu apropriado, o outro homem perguntou se podia ser colocado na cama perto da janela.

A enfermeira disse logo que sim e fez a troca. Depois de se certificar de que o homem estava bem instalado, a enfermeira deixou o quarto.

Lentamente, e cheio de dores, o homem ergueu-se, apoiado no cotovelo, para contemplar o mundo lá fora. Fez um grande esforço e lentamente olhou para o lado de fora da janela... que dava, afinal, para uma parede de tijolo!

O homem perguntou a enfermeira o que teria feito com que o seu falecido companheiro de quarto lhe tivesse descrito coisas tão maravilhosas do lado de fora da janela.

A enfermeira respondeu que o homem era cego e nem sequer conseguia ver a parede. "Talvez ele quisesse apenas dar-lhe coragem..."

texto de domínio público -autor desconhecido-

Pense nisso: Há uma felicidade tremenda em fazer os outros felizes, apesar dos nossos próprios problemas. A dor partilhada é metade da tristeza, mas a felicidade, quando partilhada, é dobrada. Se te queres sentir rico, conta todas as coisas que tens que o dinheiro não pode comprar.

"O dia de hoje é uma dádiva, por isso é que o chamam de presente."

"Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas" Mateus 7.12 (Regra de Ouro)

Quantas vezes nós olhamos as situações do cotidiano da vida e, ao invés de enxergarmos com ânimo e com desejo de vitória, deixamos os contratempos e dificuldades frearem nossa esperança.

Quantos lideres que, ao invés de ajudar seus liderados, ouvindo-os, compartilhando fé, trazendo esperança e motivação, dão um "banho de água fria" em seus ajudadores. Um líder autentico encoraja os outros, apesar de suas próprias adversidades.

Que possamos em nosso dia a dia ser aquele "homem da janela" e com alegria transmitir ao próximo boas imagens, ânimo, coragem, Esperança e Fé.
Que Deus use muito você!

Seja cada dia mais altruísta!
O que você fez por seu próximo hoje?
Portanto, pensem nisto: Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz comete pecado. Tiago 4.17

Deus abençoe!
Aqui eu Aprendi!

terça-feira, 29 de abril de 2014

A Flor e a Borboleta

Será que temos agradecido por "tudo" que pedimos e pela "misericórdia" recebemos?

REFLEXÃO: A Flor e a Borboleta

Certa vez, um Homem pediu a Deus que lhe desse uma Flor e uma Borboleta; mas Deus lhe deu um Cacto e uma Lagarta.

O Homem ficou triste, pois não entendia o porquê do seu pedido vir "errado". Daí pensou: “Também, com tanta gente para atender...”, e resolveu não questionar.

Passado algum tempo, o homem foi verificar o pedido que deixara esquecido; para a sua surpresa, do espinhoso e feio Cacto havia nascido a mais bela das Flores. E a horrível Lagarta transformara-se em uma belíssima Borboleta.

Deus sempre age certo. O seu caminho é o melhor, mesmo que aos nossos olhos pareça estar dando tudo errado.
Se você pediu a Deus uma coisa e recebeu outra, confie. Tenha a certeza de que Ele sempre dá o que você precisa, no momento certo.

Nem sempre o que você deseja..., é o que você precisa. Como Ele nunca erra na entrega de seus pedidos, siga em frente sem murmurar ou duvidar.

O espinho de hoje..., será a flor de amanhã!
texto domínio publico "adaptado"

"ora, àquele (DEUS) que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera," Efésios 3.20

Ele sabe muito bem o que faz! Tudo para o nosso bem! Aleluia!

Siga em frente na sua jornada, mesmo que aos nossos olhos tudo pareça estar "errado". Se pedimos a Deus e recebemos dEle, que conhece o que precisamos, confiemos, glorifiquemos o Seu nome. 

Você pediu força, recebeu pedras para carregar... tornou-se forte!
- pediu sabedoria, recebeu dificuldades para resolver... tornou-se sábio!
- pediu coragem, recebeu situações perigosas para superar... tornou-se corajoso!
- pediu amor, recebeu pessoas com problemas para ajudar....

Lembremos: A transformação (Lagarta para Borboleta) acontece em quatro fases: o ovo, a larva, a pupa e o estagio adulto. Em que estágio da transformação você se encontra?

Não abandone o que você tanto pediu!

"Porque eu, o Senhor teu Deus, te seguro pela tua mão direita, e te digo: Não temas; eu te ajudarei." Isaías 41.13

Em todos os períodos acontecem "transformações". Em cada estágio ocorrerão "transformações".

Não importa as circunstancias ADORE ao SENHOR!

"Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o Seu propósito." Romanos 8.28

Aqui eu Aprendi!

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Os Pré-Reformadores

Devido aos caminhos tortuosos tomados pelas lideranças da igreja, que mais parecia um rebanho sem pastor. Deram-se origem as revoltas, encabeçadas por homens compromissados com a verdade bíblica e cheios do amor divino.

Reforma Protestante foi um movimento reformista cristão culminado no início do século XVI por Martinho Lutero, quando através da publicação de suas 95 teses, em 31 de outubro de 1517 na porta da Igreja do Castelo de Wittenbergprotestou contra diversos pontos da doutrina da Igreja Católica Romana, propondo uma reforma no catolicismo romano. Os princípios fundamentais da Reforma Protestante são conhecidos como os Cinco Solas, a saber:

Sola Fide - Somente a Fé
Sola Scriptura - somente a Escritura 
Solus Christus - somente Cristo
Sola Gratia - somente a Graça
Soli Deo Gloria - Glória somente a Deus

Reforma Protestante foi iniciada por Martinho Lutero, embora tenha sido motivada primeiramente por razões religiosas, também foi impulsionada por razões políticas e sociais.

Sem duvida nenhuma o nome de Lutero é um dos mais lembrados neste período, mas nesta galeria há mais nomes importantes que, às vezes esquecidos, porém com grande importância em suas contribuições no movimento, deixaram legado, os Pré-Reformadores, e isso se reflete e se conhece historicamente por Reforma Protestante.

Esse período vivido pelos pré-reformadores, isto é, pessoas que lutaram pela reforma da igreja, ficou conhecido como a fase da "Igreja Deformada" outros ainda conhecem como a "Idade das trevas" ou "Era das Trevas" sendo este termo abandonado por muitos pesquisadores.

Na Idade Média, quem mandava na Igreja era o Papa. Ele tinha plenos poderes para instituir e derrubar reis e reinos. Foi criado o “clero”, que era uma liderança muito mais política que espiritual, e mantinha uma distância enorme do povo. O clero não tinha nada a ver com os apóstolos que viviam em comunhão com o povo.

Alguns dos erros cometidos pela Igreja que a fez se distanciar da Palavra de Deus:
380 d.C. – Oração pelos mortos
535 d.C. – Instituição das procissões
538 d.C. – Celebração da missa de costa para o povo
757 d.C. – Adoração de imagens
884 d.C. – Canonização de santos
885 d.C. – Adoração da “Virgem Maria”
1022 d.C. – Legalização da penitência por dinheiro
1215 d.C. – Adoção da confissão auricular (confessar ao padre)
1470 d.C. – Invento do rosário  


A PRÉ REFORMA


Como se reservar moralmente e espiritualmente em meio a tanta corrupção? A igreja estava vivendo um período pior que o das perseguições, o problema estava nos púlpitos e no seio da igreja. Como a igreja passou a ser dominada pelo Romanismo, com o título de “Igreja Católica Romana”, havia corrupção de todas as formas. Nesse meio de corrupção destacava as reservas morais e muitos deles lutaram pela reforma. Portanto são chamados de pré-reformadores que se dispuseram a enfrentar as irregularidades e monstruosidades provindas do trono papal.

Neste período da Igreja, vivido pelos pré-reformadores, surgiram homens que exerceram grande influencia sobre os reformadores. Entre estes citemos o nome de Pedro Bruys, natural do sul da França, era considerado um homem de espírito indomável. Suas pregações eram provocantes e revoltava o clero, por essa razão viveu fugindo para escapar das perseguições. Com a adesão de muitos à sua luta, surgiu o movimento que se chamou de “Petrobrussiano”.

Mesmo com as lideranças da Igreja Católica Romana, tentando sufocar todos quantos se opusessem aos seus ensinos heréticos, muitos foram impulsionados pelo Espírito a desafiá-los.

Entre os Pré-Reformadores destacaremos alguns nomes, homens que em uma época em que o poder papal ousava a questionar a estrutura eclesiástica e seus fundamentos, não só na Igreja como também no Estado.


John Tauler (1300-1361)
John Tauler
John Tauler.
(1300-1361)
Tauler nasceu na cidade de Strasbourg Alemanha por volta de 1300. Entrou para a ordem dominicana local aos quinze anos de idade. Sua compreensão das realidades teológicas era profunda e por volta de 1325 foi ordenado padre dominicano.
Um homem com alto índice de popularidade. Em 1339 sua comunidade foi forçada a deixar Strasburg para Basle devido a uma interdição papal a esta cidade. Ele optou por ser leal ao imperador em sua disputa com o Papa João XXII.
Só em 1498 seus sermões foram publicados em Leipzig, sendo a tradução latina de Laurentius Surius, impressa em Colônia em 1548, a que difundiu seu pensamento.
A edição impressa em Augsburg em 1508 foi lida por Lutero. Ele admirava sua defesa de uma completa submissão à vontade de Deus e suas notas sobre os sofrimentos que atormentam as almas devotas.
O fundamento, para Tauler, é a essência de nossa alma e é o lugar onde vamos ter contato direto com a Divindade. Enfatiza que neste nível profundo somos guiados por uma fome insaciável por Deus e uma predisposição para recebê-lo. Os textos enfatizam também que devemos abandonar o egoísmo e nossa vontade própria se queremos nos unir a Deus, e Tauler dá a maior relevância ao papel de Cristo neste processo. A atitude que devemos aprender é essencialmente a passividade, deixando Deus trabalhar em nós.
De fato, em geral Tauler creditava o imenso valor espiritual das tribulações diárias, e como estas servem para distinguir a verdadeira da falsa testemunha. Tauler demonstra uma grande compreensão de nossos períodos de fraqueza e falha.
Ele adoeceu em 1360, sendo tratado por sua irmã. Morreu em 16 de junho de 1361. Seu túmulo pode ser visitado na igreja luterana em Strasburg, construída na local da antiga igreja dominicana, que foi destruída por um incêndio em 1870.

John Wycliffe (1328 - 1384)
Pregador e reformador na Inglaterra. Era a favor da Bíblia como autoridade, e não o papa. Foi professor na Universidade de Oxford. Fez a primeira tradução completa do Novo Testamento para o Inglês. Queria reformar a Igreja. Era contra a venda de indulgências e, nessa questão, não contou com o apoio dos reis, que o protegeram do papa em outras ocasiões. Queria abolir as ordens religiosas. Não cria na transubstanciação (ou seja, a real presença de Jesus Cristo na eucaristia. A Igreja Católica acreditava na mudança da substância pão e vinho no próprio corpo e sangue de Jesus).

Era nacionalista e, para ele, o Estado tinha o direito de tomar os bens de uma igreja corrompida. Opôs-se aos dogmas da Igreja Romana com idéias revolucionárias. Atacou a autoridade papal, colocando Cristo, e não o papa, como chefe da Igreja e a Bíblia, e não a Igreja, como a única autoridade para o crente. Segundo ele, a Igreja Romana deveria estar dentro dos padrões do Novo Testamento. Atacou também os poderosos senhores da Igreja e do Estado, pois tanto o poder espiritual quanto o temporal deveriam obedecer a limites.

Para espalhar a Bíblia mais depressa, Wycliffe usou os serviços de seus amigos, como os irmãos Lollardos. Muitos desses amigos eram estudantes em Oxford. Vestidos de roupas simples, descalços, de cajado na mão e dependendo de esmolas, os amigos de Wycliffe percorreram toda a lnglaterra conduzindo seus manuscritos e pregando o evangelho!

Em 1382, suas idéias foram condenadas em Londres. Então, foi obrigado a retornar para seu pastorado em Lutterwoth, cuja Paróquia lhe fora concedida pela coroa em reconhecimento pelos serviços que ele prestou.

Wycliffe morreu em 1384, devido a uma embolia. Por estar em comunhão com a Igreja, foi enterrado em terra consagrada. Mas, anos depois, foi condenado como herege pelo Concílio de Constança, sendo seus restos mortais exumados e queimados. Wycliffe também conhecido de: “a Estrela d’Alva da Reforma”.


John Huss (1373-1415)
Reformador tcheco foi reitor na Universidade de Praga, na Boêmia (parte da Tchecoslováquia). Pregou a Bíblia como autoridade. Suas pregações reformistas foram influenciadas pelos ensinos de Wycliffe. Suas idéias foram consideradas heréticas, obrigando-o a comparecer ao Concílio de Constança.

O movimento reformista na Boêmia (que por questões de herança era ligada ao império alemão), iniciado por Huss, era apoiado pelos reis para limitar o poder da hierarquia eclesiástica associado a um desejo sincero de reforma que intentava corrigir os abusos da Igreja. Com o movimento, Huss pôde dar impulso à Reforma que pregava de púlpito. Na Capela de Belém (na Boêmia) deu continuidade a seus ideais relacionados à Reforma. Como apoiava as idéias de Wycliffe, foi proibido de pregar pelo papa, mas desobedeceu e permaneceu.

Foi convocado pelo papa para comparecer a Roma. Recusou-se e foi excomungado. Mas como contava com o apoio dos reis e de quase toda a Boêmia, continuou pregando sobre a Reforma. Opôs-se às indulgências, pois ninguém podia vender uma coisa que vem unicamente de Deus. Por ser considerado um herege, deixou Praga e refugiou-se no Sul da Boêmia, onde continuou trabalhando em favor da Reforma e escrevendo obras. Foi chamado a comparecer ao Concílio de Constança para defender-se pessoalmente. Para garantir sua segurança, contou com um salvo-conduto do imperador Sigismundo. Mas isso não impediu ao Papa João XXI de tratá-lo como um prisioneiro. Foi levado à assembléia acorrentado. Mesmo possuindo um certificado do inquisidor da Boêmia, declarando sua inocência, foi acusado de herege.

Caso se retratasse no Concílio, estaria confessando ser um herege e condenando seus seguidores. Então, não o fez. Entregou sua causa a Jesus Cristo, o juiz Todo-Poderoso. Foi encerrado na prisão. Seus inimigos queriam vê-lo vencido, pois sua execução seria uma mancha para o Concílio. Por fim, foi levado à fogueira usando uma coroa de papel decorada com diabinhos e, no caminho, teve de ver seus livros sendo queimados. Em sua última oração, disse: “Senhor Jesus, por ti sofro com paciência esta morte cruel. Rogo-­te misericórdia por meus inimigos”. Huss morreu entoando salmos.


Jerônimo Savonarola (1452-1498)
Nascido em Florença, Itália, pregava, como um dos profetas hebreus, para vastas multidões que enchiam sua catedral. Seus sermões eram contra a sensualidade e o pecado da cidade e os vícios do papa. A cidade penitenciou-se e se reformou, mas o Papa Alexandre VI procurou, de todos os modos, silenciar o virtuoso pregador (tentou até suborná-lo com o chapéu cardinalício), mas em vão.

Foi enforcado e queimado na grande praça de Florença. Isso aconteceu dezenove anos antes das 95 teses de Lutero. Esse homem de Deus nos ensinou o que é fervor verdadeiro diante de uma sociedade corrompida.


Os Valdenses
Os valdenses são uma denominação cristã que teve sua origem entre os seguidores de Pedro Valdo na Idade Média e subsiste hoje como um grupo etnorreligioso na Itália e Uruguai nas igrejas Valdense e Evangélica Valdense do Rio da Prata, além de descendentes na Alemanha, Estados Unidos e França.

Pedro Valdo era um comerciante de Lyon e iniciou seu movimento por volta de 11742 [falta página]. Decidiu encomendar uma tradução da Bíblia para a linguagem popular e começou a pregá-la ao povo sem ser sacerdote. Ao mesmo tempo, renunciou a sua atividade e aos bens, que repartiu entre os pobres.

Desde o início, os valdenses afirmavam o direito de cada fiel de ter a Bíblia em sua própria língua, sendo esta a fonte de toda autoridade eclesiástica.

Os valdenses reuniam-se em casas de família ou mesmo em grutas, clandestinamente, devido à perseguição da Igreja Católica. Celebravam a Santa Ceia uma vez por ano. Negavam a supremacia de Roma, rejeitavam o culto às imagens vistas por eles como idolatria e se diziam guardadores da doutrina cristã apostólica. Em virtude de sua recusa em interromper suas pregações, foram excomungados em 1184.

Mesmo após a morte de Pedro Valdo, em 1217, seus discípulos continuaram o movimento, sendo nomeados valdenses. Condenados pelo papado, os valdenses foram perseguidos durante a Idade Média e a Reforma Protestante, quando juntaram-se ao nascente protestantismo no Sínodo de Chanforan em 1532. Desde então, os valdenses subscrevem ao Calvinismo.

Em 1848, foi proclamando o edito de emancipação garantindo liberdade de culto e direitos individuais para os valdenses no Piemonte (então parte do Reino da Sardenha e depois para toda o Reino de Itália.

O crescimento populacional e busca de maior liberdade econômica e religiosa fizeram os valdenses emigrarem em massa no final do século XIX, estabelecendo colônias no Uruguai, Argentina e Estados Unidos. Em 1975, a Igreja Evangélica Valdense, então com 35.000 membros na Itália e 15.000 no Uruguai se uniram com a Igreja Metodista Italiana (com 5.000 membros) para formar a União das Igrejas Valdense e Metodista.


Os Lolardos
Nome que designava originalmente um grupo religioso da Holanda no início do séc. XIV. Por volta de 1387, o termo começou a ser aplicado aos seguidores do reformador religioso inglês John Wycliffe.

Os lolardos pregavam a obediência a Deus, a confiança na Bíblia como guia para uma vida cristã e a simplicidade de culto. Rejeitavam a riqueza da missa, a maioria dos sacramentos e a supremacia Papal. Negavam que uma Igreja organizada fosse necessária à salvação. Muitos lolardos eram padres ou leigos pobres. Usavam vestes longas castanho-avermelhadas, carregavam bordões e viviam do que conseguiam em esmolas. Henrique IV, que subiu ao trono em 1399, perseguiu-os porque suas crenças se opunham à lei religiosa. Por volta de 1420, o movimento estava praticamente extinto.

Embora os lolardos tenham tido pouca influência permanente na vida religiosa inglesa, exerceram grande poder na Boêmia. Lá, John Huss foi queimado em 1415 por pregar as doutrinas de Wycliffe. Cem anos depois, Martinho Lutero abraçou algumas das ideias de Hus. Desse modo, os lolardos ajudaram a lançar as bases para a Reforma protestante.


Os Albigenses
A origem dos cátaros ou albigenses permanecem ainda em mistério. O mais provável é que fossem fruto da conjunção de vários fatores. Em primeiro lugar, existiam disseminados pela Europa ocidental pequenos grupos de crentes que se separaram da cristandade organizada no tempo de Constantino, entre os quais os mais conhecidos foram os novacianos, quem também foram conhecidos com o nome de cátaros ou 'puros'.

Por outro lado, durante o início da Idade Média, a corrupção generalizada de uma grande parte da cristandade levou irmãos sinceros a apartar-se dos seus males e abusos. Entre esses irmãos se destacaram homens de grande zelo espiritual, que denunciaram abertamente os males da cristandade e ganharam um considerável número de seguidores para uma fé mais bíblica e singela, entre os quais se destacam Pedro de Bruys e Henrique de Cluny. Além disso, existiu uma contínua corrente migratória de irmãos que eram perseguidos no oriente (paulicianos e bogomiles), que, ao chegarem ao ocidente entraram em contato com as igrejas dos cátaros, albigenses e valdenses.

A Cruzada Albigense (denominação derivada de Albi, cidade situada ao sudoeste da França), também conhecida como Cruzada Cátara ou Cruzada contra os Cátaros, foi um conflito armado ocorrido em 1209 e 1244, por iniciativa do papa Inocêncio III com o apoio da dinastia dos Capetos (reis da França na época), com o fim de reduzir pela força o catarismo, um movimento religioso qualificado como heresia pela Igreja Católica e assentado desde o século XII nos territórios feudais do Languedoque; favoreceu a expansão para sul das posses da monarquia capetiana e os seus vassalos.


William Tyndale (1484-1536)
Nascido em 1484, na parte oeste da Inglaterra, em um local próximo à fronteira do país de Gales, Tyndale graduou-se na Universidade de Oxford em 1515, onde estudou as sagradas escrituras no hebraico e no grego. Aos trinta anos, fez uma promessa que haveria de traduzir a Bíblia para o moderno inglês para que todo o povo, desde o camponês até a corte real, pudesse ler e compreender as Escrituras em sua própria língua. Isso porque a Igreja Católica proibia severamente qualquer pessoa leiga de ler a Bíblia. Segundo o clero, o povo simples não podia compreender as Sagradas Letras, por isso precisava de sua ajuda. A interpretação era feita segundo a sua conveniência, e para fins políticos e financeiros. Com esse desejo em seu coração, Tyndale partiu para Londres em 1523, buscando um lugar que pudesse dar início ao seu projeto.

Contemporâneo e amigo de Lutero, muitos o colocam como pré-reformador, mas é inegável que ele teve uma grande participação de maneira direta na Reforma Protestante.

Não sendo recebido pelo bispo de Londres, Humphrey Munmouth, um comerciante de tecido, lhe deu todo apoio necessário. Em 1524, Tyndale foi obrigado a deixar a Inglaterra e partir para a Alemanha para dar continuidade ao seu trabalho. Essa mudança deveu-se às grandes perseguições que sofrera por parte da igreja católica.

A proibição da leitura da Bíblia agravou-se de tal maneira que se uma criança recitasse a oração do “Pai Nosso” em inglês toda a sua família era condenada a ser queimada na estaca. Na Alemanha, ele se estabeleceu na cidade de Hamburgo e, provavelmente, conheceu Martinho Lutero, pois eram contemporâneos. Ambos traduziram o Novo Testamento baseado no Manuscrito Grego, compilado por Erasmo, em 1516.

William Tyndale concluiu a tradução do Novo Testamento em 1525. Quinze mil cópias em seis edições foram impressas pela proteção de Thomas Cromwell, vice-regente do rei Henrique VIII, e contrabandeadas por comerciantes para a Inglaterra entre 1525 e 1530.
As autoridades da igreja romana deram ordem para confiscar e queimar todas as cópias da tradução de Tyndale, porém eles não podiam parar o fluxo da entrada de Bíblias vindas da Alemanha para a Inglaterra. Até mesmo na Escócia, mercadores escoceses estavam levando a Bíblia para o seu povo.
O próprio William não podia regressar, à Inglaterra, pois estava sendo procurado e tido como fora-da-lei. A leitura de seus escritos e tradução do Novo Testamento haviam sido legalmente proibidas. Contudo, ele continuou suas revisões e correções até que sua edição final do Novo Testamento foi cumprida em 1535. Com esta conclusão, Tyndale iniciou a tradução do Velho Testamento, porém não viveu bastante a ponto de terminá-la.   
Tyndale traduziu o Pentateuco, Jonas e alguns Livros Históricos. Em maio de 1535, foi preso e levado a um castelo perto de Bruxelas, onde ficou aprisionado por mais de um ano. Durante esse tempo, um de seus companheiros, Miles Coverdale, concluiu a tradução do Velho Testamento, baseada no trabalho de seu companheiro.
Estando já o senhor Tyndale no cárcere, lhe ofereceram um advogado e um procurador, o qual recusou, dizendo que ele faria sua própria defesa. Predicou de tal modo aos que estavam encarregados de sua custódia, e aos que estavam familiarizados com ele no castelo, que disseram dele que se não era um bom cristão, então não sabiam quem poderia sê-lo.
Chegou, porém, o dia do julgamento de Williarn Tyndale e ele foi condenado à morte por haver colocado as Escrituras na mão do povo inglês. No dia 6 de outubro de 1536, foi estrangulado e, em seguida, queimado na estaca. O ato ocorreu publicamente. Suas últimas palavras: "Senhor, abre os olhos do rei da Inglaterra!", o que de fato aconteceu anos depois.

Encontra-se sepultado em William Tyndade Park, Vilvoorde, Barbante Flamengo na Bélgica.

Fonte:
A história da Igreja-CPAD;
Teologia dos Reformadores;
wikipédia;
wikipédia/valdenses;
http://klick.com.br/enciclo/encicloverb/0,5977,POR-10004,00.html;
Revista Defesa da Fé;
O Livro dos Mártires-John Fox 
Aqui eu Aprendi!

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Aproveitando o tempo!


Atualmente, há uma grande pressa para realização de qualquer coisa; no trabalho, na escola, no almoço.... 

...na internet, nossa, nesse item o caso é mais grave ainda, quando uma pagina demora a abrir, vemos que muitos se aborrecem pela lentidão em aparecer o que se deseja ver. A um clique, queremos de imediato o que se procura exibido na tela.

Há uma urgência para tudo!
Uma pressa incontrolável!

Será que é pra tudo mesmo? Estamos...

Aproveitando o tempo!

Por isso diz: Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá. Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, Remindo o tempo; porquanto os dias são maus. (Efésios 5:14-16)

Vendo mais uma vez o noticiário, me deparei com mais notícias tristes de morte entre familiares. Se não bastasse o caso de um menino de 13 anos que matou os pais e parentes, vemos também uma mãe que é suspeita de matar as duas filhas, uma família inteira que foi envenenada e um artista que se suicida por motivo banal.
Casos como esses, têm sido comuns no noticiário e mostra o quanto a degradação familiar tem atingido muitas vidas. A inversão de valores da sociedade e a banalização da vida e dos conceitos mais elementares do viver tem feito vítimas.
A falta de um conceito daquilo que é importante tem atingido muitas pessoas, onde o “ter” é substituto do “ser”. O altruísmo foi substituído pelo egocentrismo. A corrida do materialismo por parte dos pais e a falta de limites dos filhos são alguns exemplos desta substituição. Infelizmente, o valor da vida é tão desprezada por essa geração que hoje se mata e se tira a vida por qualquer motivo e circunstância.
Diante de notícias como essas, acende-se um sinal de alerta para a Igreja do Senhor onde vemos nitidamente os tempos trabalhosos que diz a palavra de Deus:
Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons,Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, (2 Timóteo 3:1-4)
Por isso é necessário que nós, como Igreja do Senhor, venhamos a nos despertar quanto a 3 aspectos relacionados ao tempo:
1) Devemos discernir o tempo que estamos vivendo: Certa vez Jesus chega para os religiosos e disse:
Hipócritas, sabeis discernir a face da terra e do céu; como não sabeis então discernir este tempo? (Lucas 12:56)
Nesta passagem Jesus alertava um povo que conhecia muitas coisas, achavam-se “super espirituais”, mas não conseguiam “discernir o tempo”. Apesar de conhecer as Escrituras e as profecias que apontavam ao Messias, os religiosos ainda pediam um sinal (Mt 16:1-4).
Assim como foi no passado muitas pessoas hoje não tem tido discernimento quanto ao tempo que estamos vivendo. Infelizmente, muitos cristãos estão tão fascinados em “prosperar” e “ter” que esquecem daquilo que lhes foi prometido, como aquilo que Deus tem preparado (Jo 14: 1-3) E foi assim também com o povo de Israel. Na época de Jesus os religiosos estavam mais preocupados com as “suas coisas” que esqueceram da promessa do Messias. Embora esperassem a vinda daquele que viria “libertar” seu povo, o “discernimento” que tinham da sua vinda era tão distorcido que quando Ele veio, muitos não creram. Outros estavam tão preocupados com a questão política da nação e o domínio político de Roma que idealizaram o Messias como um rei e governante terreno. A preocupação dos líderes religiosos, por exemplo, era com sua vida e com seu status. Esqueciam os religiosos de cuidarem da vida das pessoas em detrimento a seu bel prazer.
Diz as Escrituras que Jesus teve compaixão daquele povo e discernindo a situação daquele momento declarou que as ovelhas de Israel andavam cansadas e desgarradas, como ovelhas que não tem pastor (Mt 9:36). Jesus conhecendo aqueles religiosos censurou-os afirmando que aquilo que buscavam mesmo eram os “primeiros lugares nas sinagogas e banquetes, ou seja, buscavam ser importantes a fim de serem visto por homens (Mt 23:5-6).
Infelizmente temos visto isso em muitos lugares, onde muitos que se dizem “ministros de Deus” estão mais interessadas em si, do que no próprio rebanho. A esses já dizia o profeta Jeremias:
Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto, diz o SENHOR. Portanto assim diz o Senhor Deus de Israel, contra os pastores que apascentam o meu povo: Vós dispersastes as minhas ovelhas, e as afugentastes, e não as visitas-tes; eis que visitarei sobre vós a maldade das vossas ações, diz o Senhor.(Jeremias 23:1-2).
Num tempo como hoje, devemos pedir a Deus o dom do discernimento. Creio que o maior dom destes tempos é dom do discernimento.(1 Cor 10:12). Diante de tudo que tem acontecido e de tantas pessoas que se dizem “profetas” é necessário que venhamos verdadeiramente a discernir entre os falsos profetas e os verdadeiros, entre os falsos ensinos e aqueles que são genuínos. E assim como houve falsos profetas nos tempos antigos, assim também é hoje, como diz as Escrituras:
“Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras” (2 Pe 2.1)
O apóstolo João nos ensina a “provar os espíritos” para ver de onde procedem, pois existem muitos falsos profetas que tem se levantado no mundo (1 Jo 4:1-6). Provar significa por a prova, demonstrar a verdade e autenticidade de uma coisa com razões, fatos, testemunhos, documentos e etc.
João não pediu para darmos “amém a todas as coisas, mas antes prova-las". É por isso que não devemos ser ingênuos e acreditar que tudo que nos é ensinado provém de Deus. Devemos discernir o certo, do errado, o verdadeiro do falso e etc.
Discernir significa reconhecer, perceber, distinguir e diferenciar algo ou alguém.
Esse discernimento não é algo que vem de nós mesmos, mas de um conhecimento que vem do Espírito de Deus.
2) Aproveitando o tempo que temos – Outra aspecto que devemos considerar é que neste tempo precisamos aproveitar ao máximo o tempo que temos. A palavra de Deus diz que devemos aproveitar as oportunidade e o tempo que temos para viver uma vida de prudência. Quando diz que devemos ver prudentemente como andamos, Jesus nos faz refletir sobre a nosso condição espiritual (Ef 5:15). Com relação a isso no livro de Colossenses o apóstolo Paulo nos admoesta a nos portar com sabedoria, aos que são de fora, aproveitando as oportunidades (Cl 4:5). Aliás, em algumas traduções das Escrituras expressão “remir o tempo” significa “aproveitando cada oportunidade” (Ef 5:16a). Paulo nos ensina nestas passagens a viver uma vida de vigilância e prudência.
Aliás em muitas de suas parábolas Jesus também nos fala sobre a vigilância e a prudência, como na parábola das 10 virgens e dos talentos (Mateus 25). Na parábola de dois servos, Jesus descreve dois servos a quem Deus confiou os seus empregados para darem-lhe sustento. Enquanto um fazia o certo, ou seja, dava-lhes o necessário, para se sustentarem, o outro, mal, começou a espanca-los e a comer e beber com os bêbados. (Mt 24:46-51). A parábola termina mostrando que servo fiel e prudente soube aproveitar as oportunidades. (Mt 24:46).
Quando falamos de remir, isto significa “ter em nosso poder” o tempo, aproveitando o máximo a oportunidade que nos é dada. Existem pessoas que não oram mais, que não leem a palavra e que esqueceram por completo das coisas de Deus. Somos distraídos facilmente com o entretenimento quer ele dentro ou fora da igreja. Numa época como a de hoje devemos aproveitar da melhor maneira possível o nosso tempo. Jesus lamentou e chorou a negligência do povo judeu por não aproveitar e reconhecer o tempo da visitação de Deus(Jesus) em suas vidas. (Lc 19:44).
Disse Jesus: “Ah, se tu conhecesses também, ao menos “NESTE DIA” o que a tua paz pertence” (Lc 19:42)
Jesus estava dizendo: “Ah, se soubessem que EU SOU, você teria a paz que necessita.”
Enquanto, muitos oravam pela vinda do Messias no templo, Jesus passava perto do lugar de adoração naquelas mesmas ruas de Jerusalém, montado em um jumentinho. Temos, portanto que estar atento “espiritualmente” para não perdemos tempo e oportunidade. Enfim, eles não perceberam que aquele que fazia sinais e maravilhas e estava junto deles, era o Enviado.
Como já havia dito, a preocupação com esta vida, muitas vezes nos leva a não conseguir enxergar que Deus está tão próximo. Os discípulos no caminho de Emaús estavam tão preocupados e tristes que não conseguiam enxergar que Cristo estava ao lado deles (MT 24:13-35). Podemos perder a oportunidade de estar com Deus se nos preocuparmos excessivamente com nossos interesses ou nossos problemas. É necessário portanto aproveitar ao máximo o tempo que temos, pois o tempo de Deus está próximo.
3) Entender que o tempo de Deus está próximo - E assim como muitos religiosos judeus não perceberam quando o Messias chegou, HOJE, muitos cristãos estão também com relação a volta de Cristo. Os sinais de sua vinda estão bem visíveis, mas muitos preferem não “enxergar” os sinais deste tempo. Jesus diz que assim como foi nos dias de Noé, onde comiam, bebiam e se casavam, assim será na volta do Filho do Homem (Mt 24:38-39).  Diz as Escrituras que eles não “perceberam” até que veio o dilúvio (Mt 24:39).
Muitos não estão percebendo, mas um dos sinais da vinda de Cristo é justamente o que foi relatado no início deste estudo,  a desagregação familiar como está escrito:
E o irmão entregará à morte o irmão, e o pai ao filho; e levantar-se-ão os filhos contra os pais, e os farão morrer (Marcos 13:12).
A palavra de Deus diz que os dias são maus e o mundo jaz no maligno (Ef 5:16b; 1 Jo 5:19b).
Também diz: Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver, E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias. (Mateus 24:21-22)

Diz as Escrituras que o tempo se abrevia, ou seja , se torna cada dia, mais curto, ou reduzido. Como diz as Escrituras:

Isto, porém, vos digo, irmãos, que o tempo se abrevia; o que resta é que também os que têm mulheres sejam como se não as tivessem; E os que choram, como se não chorassem; e os que folgam, como se não folgassem; e os que compram, como se não possuíssem; E os que usam deste mundo, como se dele não abusassem, porque a aparência deste mundo passa (1 Coríntios 7:29-31)

Quando fala que o tempo tem sido abreviado, temos a impressão que por ser curto o tempo não haverá mais chance de pessoas se salvarem. Parece que seria necessário que Ele “estendesse” o tempo. Porém a realidade é que o Senhor tem abreviado o tempo, para que muitas pessoas não venham a sofrer, nem se angustiar e nem se desfalecer na sua fé, mas que sejam poupadas das terríveis coisas que há de vir.  Como já falamos os dias são maus e a tendência é piorar cada dia mais.  Por isso que Jesus nos diz que devemos viver como se nada fosse nosso, pois tudo isso passaria.  É claro que devemos buscar aquilo que necessitamos, porém não devemos “viver em função dessa busca pelo ter".

Diz as Escrituras: “Se o Senhor não abreviasse aqueles dias, ninguém se salvaria mas Ele, por causa dos eleitos que escolheu, abreviou aqueles dias.” (Marcos 13:20)

Jesus se refere a grande tribulação que acontecerá e que de certa forma no “princípio das dores” já está acontecendo.

Abreviar o tempo, portanto, significa encurtar o tempo de tribulação para que muitos que estão crentes ou vão ser, não venham a desfalecer pelas tribulações que hão de acontecer.  Por tudo isso devemos “REMIR O TEMPO”, “URGENTEMENTE”.

Devemos entender que o tempo da vinda de Cristo está próximo, como diz os santos profetas: 
Porque está perto o dia, sim, está perto o dia do Senhor; dia nublado; será o tempo dos gentios. (Ezequiel 30:3)
Ai daqueles que desejam o dia do Senhor! Para que quereis vós este dia do Senhor? Será de trevas e não de luz. (Amós 5:18).

Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se. Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão (2 Pedro 3:8-10).

Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo (Apocalipse 1:3)
Fonte: GospelPrime - texto de Anderson Cassio de Oliveira - É hora de remir o tempo!!!

Aqui eu Aprendi!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...